O Estágio Supervisionado na Formação de Professores de Educação Física : Saberes e Práticas dos Estudantes-estagiários

Por: Silvane Fensterseifer Isse.

236 páginas. 2016 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O estágio curricular supervisionado teve seu reconhecimento ampliado na legislação de ensino brasileira, especialmente após a publicação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação 9.394/96, pois tem se mostrado um dos elementos centrais na formação de professores. Ao mesmo tempo em que ganha o reconhecimento legal, amplia-se a necessidade de que sejam feitas reflexões aprofundadas sobre a forma como as experiências do estágio têm sido vividas por estudantes e professores dos cursos de formação. O problema de pesquisa deste estudo é: Como os saberes são mobilizados por estudantes de um curso de Licenciatura em Educação Física em suas práticas docentes durante o estágio supervisionado no Ensino Médio? Foram adotados os princípios metodológicos da pesquisa qualitativa. A pesquisa foi realizada com nove estudantes-estagiários de um curso de licenciatura em Educação Física de uma instituição comunitária de ensino superior do interior do Rio Grande do Sul. A produção das informações se deu através de entrevistas narrativas, observações, análise do projeto pedagógico do curso e grupo de discussão. O processo analítico se deu através da triangulação entre as fontes do campo, as fontes teóricas e as interpretações da autora. Os resultados da pesquisa evidenciaram que os participantes reconhecem a relevância do estágio na sua formação profissional e consideram-no tempo e espaço de muitas aprendizagens, e, ainda, que essa experiência poderia ter seu espaço ampliado no currículo do curso. Entendem que o estágio contribui para que o início de carreira seja menos impactante, para que aprendam a movimentar-se na estrutura e na cultura escolar, construam relações humanas e ocupem a posição de professor com autoridade epistemológica. Em relação aos saberes necessários para ensinar, que se constituem, ao mesmo tempo, em aprendizagens advindas com o estágio, os participantes referiram a capacidade de escuta, mediação, negociação, diálogo e acolhimento; o posicionamento como sujeito de autoridade, integrante de um coletivo que compartilha, planeja e aprende junto; o conhecimento sobre os conteúdos da Educação Física e sua trajetória histórica; a elaboração e execução do planejamento de ensino e o conhecimento sobre o contexto escolar, a vida de professor e a vida na escola. Em relação às questões da formação, os participantes referiram que as disciplinas do curso ofereceram um importante suporte para o planejamento do estágio; que as atividades realizadas em escolas básicas, tanto no estágio como em outras situações acadêmicas, foram indispensáveis para compreender melhor o trabalho e a escola; que a formação para a pesquisa contribuiu para sua autonomia e que o estágio contribuiu para a ampliação do debate em sala de aula. As relações entre teoria e prática se mostraram uma questão ainda pouco compreendida pelos estudantes, que, de certa forma, desqualificam as disciplinas compreendidas como teóricas. Os estudantes entendem que as relações entre universidade e escola precisam ser intensificadas, no sentido de constituirmos uma formação mais integrada. A pesquisa evidenciou que há um desejo dos estagiários de, através do investimento em um bom ensino da Educação Física e da ampliação de seus conteúdos na escola, contribuir para seu reconhecimento enquanto componente curricular da Educação Básica.

Endereço: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/151414

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.