O Futebol e o Humor: o Caso da Aabb Goiânia

Por: André Luiz Rodrigues e Silva, Gustavo de Conti Teixeira Costa e Mariana Pereira Maia.

XX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

Segundo Silva e Chaveiro (2007) a pelada é entendida como um episódio de relevância social que não escolhe paisagens e ocorre principalmente nas periferias. A pelada tem, na maioria das vezes, objetivo lúdico de divertimento entre amigos, colegas ou desconhecidos que tem como interesse comum uma atividade futebolista amadora (SILVA; CHAVEIRO, 2007). A atividade física se relaciona com a melhoria do bem-estar psicológico dos seus praticantes em várias vertentes como, por exemplo, na ansiedade, nas variações do estado de humor e no estresse (MATSUDO; MATSUDO; NETO, 2001). Segundo Duarte (2004) os perfis dos praticantes e não praticantes de atividade física têm diferenças, sendo que o praticante demonstra um estado de humor mais positivo em relação ao não praticante. Neste contexto, o objetivo do estudo foi analisar como a atividade física, especificamente o futebol, pode influenciar nos níveis de humor dos seus praticantes. 
A amostra foi constituída por 85 sujeitos do sexo masculino praticantes de futebol no clube AABB de Goiânia, com idades entre 40 e 75 anos, com idade média de 53±7,3 anos e os praticantes responderam ao questionário BRUMS antes e após a prática do futebol. Os dados foram analisados no programa estatístico SPSS 20.0 e o nível de significância adotado foi o de 5% (p≤ 0,05). 
Os resultados mostraram que houve diferença ao comparar-se o pré e opós-teste. A análise descritiva dos dados mostrou que os jogadores ficaram menos animados, mais esgotados, mais exaustos, menos ansiosos, com menos disposição, com menos energia, mais cansados e em menos estado de alerta após a pelada. Neste contexto, observou-se que a atividade física influencia na percepção do bem estar corporal e mental. A análise dos resultados inferenciais mostrou que os participantes não alteraram os fatores depressão, tensão e confusão mental após a prática do futebol. Contudo os fatores fadiga, vigor e raiva mostraram alterações após a prática do futebol, indicando que a atividade física acarreta em alterações do humor, principalmente nos fatores que se mostram interligados ao condicionamento físico dos participantes. 
Assim, o estudo mostrou que a atividade física possibilitou alterações psicológicas, especificamente no humor, de seus praticantes. Além disso, foi possível inferir que os benefícios psicológicos da atividade física refletem sobre a melhoria do bem-estar físico e mental, o monitoramento dos níveis de estresse e o progresso e melhoria de alguns dos estados de humor. Como perspectivas para novos estudos, sugere-se que as pesquisas busquem analisar alterações no humor de forma aprofundada, no intuito de compreender como as atividades físicas podem influenciar na alteração dos estados de humor à longo prazo.

Endereço: http://congressos.cbce.org.br/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.