Ajustes Morfológicos do Nervo Radial São Dependentes de Intensidade

Por: Patrícia Oliva Carbone, Thatiana Lacerda Nobre, Walter Krause Neto e Wellington de Assis Silva.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.23 - n.1 - 2017

Send to Kindle


.Resumo

Introdução: A adaptação dos nervos periféricos é fundamental para ganhos de força. No entanto, as informações relativas aos efeitos da intensidade sobre a morfologia do nervo são escassas. Objetivo: Comparar os efeitos de diferentes intensidades de treinamento de resistência sobre estruturas do nervo radial. Métodos: Os ratos foram divididos em três grupos: controle (GC) e treinamento com 50% (GF1) e 75% (GF2) do peso corporal do animal. A análise morfológica do nervo foi feita com microscopia óptica e eletrônica de transmissão. A one-way ANOVA e o teste post hoc de Tukey foram aplicados e o nível de significância foi estabelecido em p ≤ 0,05. Resultados: Os grupos treinamento tiveram aumento de força com relação ao GC (p ≤ 0,05). Todos os componentes medidos do nervo (área média e diâmetro de fibras de mielina e axônios, área média e espessura da bainha de mielina, neurofilamentos e microtúbulos) foram maiores no GF2 em comparação com os demais (p ≤ 0,05). Conclusão: Os resultados demonstraram maiores alterações morfológicas no nervo radial depois de cargas mais pesadas. Isso pode ser importante para terapias de reabilitação, treinamento e progressão. 

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922017000100055&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.