Associações e Movimentos de Abrangência Estadual - Associação dos Profissionais de Educação Física, Esportes e Lazer do Maranhão – Apefelma

Por: .

Atlas do Esporte do Maranhão.

Send to Kindle


ASSOCIAÇÕES E MOVIMENTOS DE ABRANGÊNCIA ESTADUAL

ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, ESPORTES E LAZER DO MARANHÃO – APEFELMA

LEOPOLDO GIL DULCIO VAZ

1981 – Novembro: por iniciativa dos Professores Laércio Elias Pereira, Lino Castellani Filho, Cecília Moreira, Sidney Forghieri Zimbres, Zartú Giglio Cavalcante (da UFMA); e Leopoldo Gil Dulcio Vaz (ETFM e UEMA), realizou-se uma reunião da Universidade Federal do Maranhão reunindo diversos profissionais e acadêmicos de educação física para a criação de uma associação de classe. Naquele momento, havia um movimento nacional para revitalização das APAES e começava-se a discutir a regulamentação da profissão.

     Daquela reunião, foi eleita uma comissão para dar andamento à idéia e tomar as providências necessárias, tomando parte da mesma: Laércio Elias Pereira; Lino Castellani Filho; Cecília Silva Moreira; Paulo da Trindade Neris Faria; e os acadêmicos Rubem Goulart Filho e Viviane Araújo. Essa comissão deveria promover discussões sobre a propriedade de se fundar uma Associação de Professores ou um Sindicato, e preparar os estatutos. Por quase um ano foram realizadas reuniões, sob o comando de Lino Castellani e Laércio Pereira, prevalecendo a idéia de fundação de uma Associação de Profissionais, que reunisse os professores de Educação Física, técnicos e instrutores de esportes e recreadores atuantes no Estado do Maranhão. Em 1979, fora criada a primeira secretaria de esportes e lazer do Brasil, e o Maranhão não dispunha de profissionais graduados para atuar nas diversas instâncias; a grande maioria, inclusive os profissionais contratados pela SEDEL, eram ex-atletas; se se criasse uma associação de professores, naquele momento, apenas os pouco mais de 10 (dez) graduados de todo o Estado poderiam se filiar.

- O Prof. Laércio, pouco depois daquela reunião inicial, em novembro, participou de uma Assembléia, representando o Maranhão, convocada pela federação nacional das APAES.

     Segundo Lino Castellani Filho – “nós desenvolvemos a criação, na ocasião à Associação dos Profissionais em Educação Física e Lazer do Maranhão, criamos estatuto, regimento aquela coisa toda. Ela surge de a gente tentar dar uma organização ao setor que começava a se organizar e a trazer para dentro toda aquela discussão do exercício profissional, da formação profissional acadêmica, da intervenção no campo, a questão do mercado de trabalho, começa a pintar a disputa do profissional e do leigo. O curso da Escola Técnica tendo outra formatação de atender o interior, através de convênios com as prefeituras do interior, de mandar alunos para o curso, o da UFMA, voltado mais para atender a Capital e mesmo assim não houve demanda, a APEFELMA surge nesse contexto, no contexto de reorganização política na Sociedade Brasileira e de reorganização de setores na sociedade, dentre eles os profissionais, mas na verdade era; eu não me envolvi na vida dela, porque tem sido conveniente que eu me afaste do Maranhão para os meus estudos e a minha volta se dá por um semestre em 86, onde então eu consigo o desligamento da Universidade para sentar e assumir”. (Entrevista)

 

1984 – eleita a primeira diretoria da APEFELMA, para um mandato de três anos:

GESTÃO 1984/1986

Presidente – Oswaldo Telles de Sousa Neto

Vice-Presidente – Vicente Calderoni Filho

1º. Secretário – Sidney Forgieri Zimbes

2º. Secretário – Viviane Martins de Araújo

1º. Tesoureiro – William Santos

2º. Tesoureiro – Silvana Martins de Araújo

com a renúncia do Presidente, após seis meses de mandato, assumiu o Vice; como diversos diretores também apresentaram suas renúncias promoveu-se novas eleições, para preenchimento das vagas, e completar a gestão:

1985 – assumem a direção da APEFELMA, para complementar a primeira gestão, 1985/1986:

Presidente – Vicente Calderoni Filho

Vice-Presidente – Sidney Forgieri Zimbes

1º. Secretário – Carlos Alberto Martins Filho

2º. Secretário – Viviane Martins de Araújo

1º. Tesoureiro – Lúcia Dutra

2º. Tesoureiro – Silvana Martins de Araújo

1986 – Segunda diretoria, gestão 1986/1988

Presidente – Vespasiano Agreu da Hora

Vice-Presidente – Benedito Ubaldo da Silva

1º. Secretário – Francisco das Chagas (Miltom M. Machado)

2º. Secretário – Henrique Augusto M. Veloso

1º. Tesoureiro – José Arimatéia S. Machado

2º. Tesoureiro – Manoel Trajano Dantas Neto

1989 – após um ano sem atividades, resolveu-se reativar a APEFELMA:

Terceira diretoria – gestão 1989 – 1991

Presidente – Leopoldo Gil Dulcio Vaz

Vice-Presidente – Rogério de Jesus Garcês

1º. Secretário – Sidney Forghieri Zimbes

2º. Secretário – Vicente Calderoni Filho

1º. Tesoureiro – Viviane Martins de Araújo

2º. Tesoureiro – Célia Regina A. Rabelo

 

durante a gestão 89/91, a diretoria da APEFELMA conquistou inúmeros benefícios aos profissionais atuantes no Estado, inclusive com uma representação na cidade de Imperatriz, a segunda maior do Estado; o 1º Secretário passou a integrar uma vice-presidência de educação física do Sindicato dos Professores, para as negociações salariais da educação física; reconhecimento do título dos formados pela ETFM, pela Secretaria de Educação do Estado e do Município, inclusive com enquadramento como professores normalistas com adicional (Parecer 45), havendo um substancial aumento do nível salarial; distribuição de um jornal informativo mensal aos mais de 200 (duzentos) filiados.

1992 encerrado o mandato da terceira diretoria eleita, não se apresentou nenhuma chapa para concorrer às eleições para a gestão seguinte, entregando-se a APEFELMA aos membros do Conselho Fiscal; depois de muito esforço, o presidente do Conselho Fiscal, Benedito Ubaldo da Silva, realizou novas eleições, cabendo a presidência ao Prof. Canhoto. Depois disso, a APEFELMA deixou de funcionar...

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.