Atividade Física de Crianças e Adolescentes Que Vivem com Hiv Adquirido Por Transmissão Vertical

Por: Andreia Cardoso, Luciana Cabral, Luiz Lima e Rosane Silva.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - RBAFS - v.19 - n.2 - 2014

Send to Kindle


.Resumo

Descrever o nível de atividade física (NAF) de crianças e adolescentes com HIV adquirido por transmissão vertical, pacientes que são atendidos no Hospital Infantil Joana de Gusmão, na Grande Florianópolis/SC. Participaram do estudo 46 crianças e adolescentes com HIV adquirido por transmissão vertical. Obtiveram-se em entrevista informações de idade, sexo e cor da pele dos sujeitos, bem como de renda familiar e escolaridade dos responsáveis. Avaliou-se massa corporal, estatura e IMC. Parâmetros da infecção pelo HIV foram obtidos no prontuário médico. O NAF foi mensurado com pedômetro durante cinco dias (dois de fim de semana) e dicotomizado com pontos de corte de 13mil, 11mil e 10mil passos diários para crianças (≤12anos) e adolescentes (>12 anos) de ambos os sexos. Utilizou-se a estatística descritiva e inferencial, com p≤0,05. Os participantes realizaram, em média, 10.551,8 ± 5.494,5 passos diários. O NAF foi reduzido no fim de semana. Não houve diferença do NAF em função do sexo, idade ou progressão da infecção pelo HIV. Análise estratificada por sexo e idade mostrou que as crianças do sexo feminino foram mais ativas que as adolescentes, independente do período da semana. A maioria dos participantes não atendeu às recomendações de atividade física (n=33, 71,7%). Conclui-se que jovens apresentando quadro clínico estável da infecção pelo HIV tem NAF inferior a indivíduos saudáveis, seja em termos de número de passos diários ou por atendimento às recomendações de atividade física.

Endereço: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/3172

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.