Atividade Física e Jogos Olímpicos: Reflexões a Partir de Londres 2012 e Rio 2016

Por: Billy Graeffi, Joe Pigginii e Paul Brethertoniii.

Ciência & Cultura - v.68 - n.2 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Após a inclusão do conceito de "legado" na Carta Olímpica em 2002 (1), os países anfitriões dos Jogos Olímpicos passaram a demonstrar uma expectativa crescente de que o evento deixasse um legado social positivo para a comunidade que o recebe. Cada vez mais, a resposta a tal expectativa baseia-se, pelo menos em parte, no entendimento de que o evento tem a capacidade de aumentar a prática de atividade física junto à população do país anfitrião. Isso se deve à suposição de que as disputas esportivas de alto rendimento, exibidas durante os Jogos, irão incentivar - ou "inspirar" - mais pessoas a ter uma prática regular de atividades físicas e esportivas.

Endereço: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252016000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.