Atividade Física e Redução do Comportamento Sedentário Durante a Pandemia do Coronavírus

Por: Carmem Cristina Beck, Cristiano Penas Seara Pitanga e .

Arquivos Brasileiros de Cardiologia - v.114 - n.6 - 2020

Send to Kindle


.Resumo

INTRODUÇÃO

A pandemia do novo coronavírus, recentemente declarada pela Organização Mundial da Saúde,1 levou diversas secretarias municipais e estaduais de saúde a publicar documentos propondo o fechamento dos diversos espaços destinados a prática da atividade física. Além disto, o Ministério da Saúde2 elaborou um manual com diversas ações para evitar a disseminação da doença, além de tomar decisões sugerindo o isolamento social recomendando que as pessoas permanecessem em casa. Todas essas medidas fizeram com que a população brasileira passasse a ter dificuldades para a prática de atividade física.

Por outro lado, a literatura é consistente quanto ao fornecimento de evidências sobre os diversos benefícios proporcionados pela atividade física à saúde,3 principalmente ao sistema cardiovascular/metabólico4 e imunológico.5 Mais recentemente, a literatura passa a apresentar evidências de que não é apenas a prática regular da atividade física que tem relação com a saúde, mas também a redução do comportamento sedentário, ou seja, o tempo que permanecemos sentados, deitados ou reclinados durante o dia, excetuando-se as horas de sono.6

Endereço: https://doi.org/10.36660/abc.20200238

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.