Atividades Circenses e Educação Física: Uma Análise das Publicações Entre 2012 e 2018

Por: e Jayme Félix Xavier Junior.

Humanidades e Inovação - v.7 - n.8 - 2020

Send to Kindle


Resumo

O presente artigo objetivou analisar as publicações em periódicos, entre os anos de 2012 e 2018, sobre as temáticas das atividades circenses e da educação física. Para tanto, utilizamos uma triagem por meio da estratégia do duplo-cego com estabelecimento de categorias de análise do material selecionado. Os artigos tratavam, em essência, sobre atividades circenses no âmbito do ensino da educação física, sendo analisados sob a ótica do currículo e identidade; formação docente; e possibilidades pedagógicas. O recorte das publicações evidenciou um cenário de avanços dentro de um contexto com algumas lacunas que carecem de atenção. As atividades circenses estão ganhando espaço tanto nas aulas de educação física como na formação inicial dos docentes e estão ficando mais claros os objetivos e os caminhos para a sistematização deste conteúdo em contextos educacionais. Apesar disto, os estudos analisados também elucidam a necessidade dessa temática ser melhor abordada no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão; assim como em moldes de formação continuada que oportunizem o compartilhamento de saberes entre os docentes.

Referências

BARDIN, Laurence. Analise de Conteúdo. São Paulo; Edições 70, LDA, 2011.

BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. Atividades circenses. Dicionário Crítico de Educação Física. 3ed. Ijuí/RS: Unijuí, v. 1, p. 60-64. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2017.

_________. Secretaria da Educação Básica. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

CARAMÊS, Aline de Souza et al. Atividades Circenses no âmbito escolar enquanto manifestação de ludicidade e lazer. Motrivivência. Ano XXIV, nº 39, p. 177-185 Dez. 2012.

CARDANI, Leonora T. et al. Atividades circenses na escola: a prática dos professores da rede municipal de Campinas-SP. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. 25(4):128-140. 2017.

DA SILVA, Daiane Oliveira et al. Atividade Circense na Escola: caminhos à organização didática a partir da concepção crítico-emancipatória. Licere, Belo Horizonte, v.19, n.1, 2015.

GARCIA, Marie-Carmen. Le goût du cirque chez les enseignants d’EPS. Staps; n.102. 4:47-60. 2013.

GONÇALVES, Luiza Lana; LAVOURA, Tiago Nicola. O circo como conteúdo da Cultura Corporal na Educação Física escolar: possibilidades de prática pedagógica na perspectiva histórico - crítica. Revista Brasileira de Ciência e Movimento; 19(4):77-88. 2012.

HAUFE, Mirian Kormann; GOIS JUNIOR, Edivaldo. A educação física e o funâmbulo: entre a arte circense e a ciência (século XIX e início do século XX). Revista Brasileira de Ciências do Esporte; 36: 547-59. 2014.

HENRIQUE, José; ANACLETO, Francis Natally de Almeida; PEREIRA, Sissi Aparecida Martins. (Org.). Desenvolvimento Profissional de Professores de Educação Física: Reflexões sobre a formação e socialização docente. Curitiba: CRV, 2016.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

_________. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

MACIEIRA et al. Livro didático público: educação física. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB. 2012.

MARIANO, Misma Lima et al. Análise da Formação Continuada de professores de Educação Física da rede municipal de ensino de Juazeiro/BA e Petrolina/PE. In: XX CONBRACE / VII CONICE. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2017.

MIRANDA, Rita de Cássia Fernandes; BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. O circo na formação inicial em educação física: um relato autoetnográfico. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 40 (1); 39-45. 2018.

MIRANDA, Rita de Cássia Fernandes; AYOUB, Eliana. Por entre as brechas dos muros da universidade: O circo como componente curricular na formação inicial em Educação Física. Revista Portuguesa de Educação, 30(2), pp. 59-87. 2017.

________. As práticas circenses no “tear” da formação inicial em Educação Física: novas tessituras para além da lona. Movimento. Porto Alegre, v. 22, n.1, 187-198, 2016.

ONTAÑÓN, Teresa Barragán et al. O debate pedagógico sobre a arte do circo na revista éducation physique et sport (1969-2015). Movimento (ESEF/UFRGS), v. 22, n. 2, p. 567-582, 2016.

ONTAÑÓN, Teresa Barragán; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho. Todos a la pista: el circo en las clases de educación física. Apunts. Educación Física y Deportes, n. 115, 1., pp. 37-45. 2014.

ONTAÑÓN, Teresa Barragán; DUPRAT, Rodrigo Mallet; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho. Educação física e atividades circenses: O estado da arte. Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 2, p. 149-168, abr./jun. 2012.

PARANÁ, Livro Didático Público de Educação Física. 1ª Ed. Paraná: Secretária de Estado da Educação do Paraná. Departamento da Educação Básica, 2006.

RETAMAL, Franklin C.; CÁCERES, Karen H.; MORALES, Jorge V.; MUÑOZ, Pablo Circo en la escuela: tiempo para la transformación, expansión y significación. Belo Horizonte: Licere, v.15, n.4, dez, 2012.

SAMPAIO, Rosana F.; MANCINI, Marisa Cotta. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v.11, n.1, p. 83-89, Feb. 2007.

SIZORN, Magali. Le cirque à l'épreuve de sa scolarisation: artification, légitimation... normalisation? Staps, n° 103, p. 23-38. 2014.

SOARES, Carmem Lucia et al. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Editores Associados, 2° Edição, 2009.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Endereço: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/2341

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.