Avaliação do Tempo de Reação em Crianças com Anemia Falciforme

Por: Fernanda Sampaio Teles, Flávia Vanessa de Araújo Medeiros, Jake Carvalho do Carmo, Kéllen Carvalho Vicentina Marinello, Maria Cláudia Pereira, Sílvia Maria Gonçalves Coutinho e Valdinar de Araújo Rocha Junior.

Motricidade - v.17 - n.1

Send to Kindle


.Resumo

A anemia falciforme é uma doença crônica capaz de afetar gravemente a habilidade de processar rapidamente uma informação. O objetivo deste estudo foi avaliar o tempo de reação em crianças portadoras de anemia falciforme, usando testes de tempo de reação simples e tempo de reação de escolha . Foi realizado um estudo transversal no Hospital da Criança de Brasília, com pacientes do ambulatório de hematologia. O grupo experimental foi composto por 24 crianças falcêmicas e o grupo controle por 22 crianças não afetadas pela anemia falciforme. O tempo de reação simples e o tempo de reação de escolha foram avaliados por meio de equipamentos desenvolvidos para esse fim. Os resultados mostraram déficit significativo no tempo de reação de escolha das crianças com anemia falciforme (p= 0.000161). No tempo de reação simples o grupo experimental apresentou menor atenção, cometendo uma maior proporção de erros por omissão, quando comparado ao grupo experimental (p=  0.00678). O menor índice de acerto nos testes de tempo de reação simpoles e tempo de reação de escolha em crianças com anemia falciforme pode estar relacionada à alta prevalência de infarto cerebral silencioso nessa população. Outro fato que pode ser associado ao aumento do tempo de reação nas crianças portadoras de anemia falciforme é a falta de vivência e oportunidades de atividades motoras ao longo da infância em razão da patologia.

Endereço: https://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/18935

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.