Barreiras Pessoais Para Prática de Atividade Física Percebidas Por Portadores de Aids

Por: Adriana Ramos Alves Ribeiro, Aurea Regina Telles Pupulin, Débora Alves Guariglia, Denilson de Castro Teixeira, e Márcia Greguol.

Revista da Educação Física - UEM - v.24 - n.1 - 2013

Send to Kindle


.Resumo

Elevados índices de sedentarismo têm sido identificados entre pessoas vivendo com HIV/AIDS. Assim o propósito deste estudo foi analisar a prevalência de barreiras pessoais para a prática de atividade física percebidas por portadores de AIDS. Amostra de trinta e cinco sujeitos de ambos os gêneros (43,8 ± 9,3 anos). Três questionários foram aplicados: 1. Nível de atividade física habitual (BAECKE et al., 1982), 2. Socioeconômico (ABEP, 2009) e 3. Barreiras pessoais percebidas para prática de atividade física (REICHERT, 2011). As principais barreiras pessoais percebidas para prática de atividade física identificadas foram: (1) preguiça ou cansaço (48,6%); (2) falta de companhia (45,7%); (3) possuir lesão ou doença (37,1%); (4) falta de dinheiro e medo de se machucar (34,3%, para ambas). Os resultados sugerem que os efeitos colaterais da medicação anti-retroviral utilizada para o controle da AIDS parece ter impacto sobre a principal barreira pessoal percebida para prática de atividade física relatada.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/16069/11488

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.