Send to Kindle


CICLISMO

LEOPOLDO GIL DULCIO VAZ

 

ORIGENS -1900 - Ainda nesse ano, outra modalidade começa a ganhar força em Maranhão: a 02 de setembro, eram iniciadas as atividades da "União Velocipédica Maranhense", com seu velódromo instalado no Tívoli - Bairro dos Remédios, no local onde era o Colégio de São Luís, até pouco tempo -. O ciclismo, que se iniciava em São Luís, era, além de lazer: "...um esplêndido exercícios na educação dos músculos; a ginástica e a esgrimagem, um meio excepcional para desenvolver todo o corpo de forma racional e completa. Tudo isso era muito importante, e até era um princípio filosófico, porque ensejaria a formação do um corpo bem desenvolvido, proporcional e harmonioso. Para isso, antes de dedicar-se a qualquer gênero de esporte, dever-se-ia procurar educar e desenvolver, por meio de um método de ginástica racional, de um prepara preliminar metódico, os músculos, de cuja rapidez, pujança, resistência e rigidez, um bom atleta não podia prescindir...". (MARTINS, 1989, p. 229-30). Dada à grande aceitação do público, os seus idealizadores tiveram que proceder novos melhoramentos para maior conforto dos freqüentadores do velódromo. Assim, a 25 de novembro, apresentava-se dotado de excelentes arquibancadas de madeira de lei; a pista, melhorada, bem como todas as dependências, sendo instalados restaurante, bar, local para a troca de roupas. Para entrar no Velódromo, era necessário adquirir ingresso, com os preços variando de um 1$000 (gerais) a 2$000 (arquibancadas). Tudo à altura das exigências para a prática do esporte, pois a sociedade marcava presença, para assistir às acirradas disputas dos "bons de pedal".  As provas eram realizadas nas distâncias de 800, 1000, 2000, 3000, e até 4000 metros, com os participantes usando pseudônimos, como "Hamlet", "Guarani", "Netuno", Júpiter", "Lilás", "Apolo", "Pimpão", "Rivil", "Velmington", "Ribamar", etc. Os mais renomados nomes  do nosso meio social, os jovens do comércio e da indústria, compareciam ao Tívoli, com alguns tomando parte na formação da diretoria; outros, como árbitros: de partida, de chegada, de confirmação, de registro, diretor de corrida, árbitros de raia. Identificavam-se com as competições, Luís Ory, Luís Pereira Santos, José Ribeiro de Farias, José Antônio R. Júnior, Joaquim Maria Serra Martins, Eduardo Sales, e o médico Manoel Vieira. A freqüência feminina era enorme - e incentivada, pois não pagavam ingresso - e dava um toque todo especial de requintada beleza. Como não poderia deixar de ser, lá estava Nhozinho Santos - como era conhecido Joaquim Moreira Alves dos Santos. De acordo com MARTINS (1985, p. 231-32), a participação desse ilustre maranhense amante dos esportes, esteve envolvido na introdução de quase todas as modalidades em nosso estado. Pela primeira vez, depara-se com seu nome envolvido, já, com esporte. Assim, na disputa do dia 19 de dezembro de 1900, no Tívoli, Nhozinho serviu de "Diretor de Corridas", juntamente com outros nomes de destaque, como José Francisco de Sá e Manoel José Vinhaes.

1901 Para MARTINS (1989), "Lamentavelmente já se haviam tornado um hábito, no Maranhão, esses rompantes de fim melancólico. No começo, muito entusiasmo, vamos! vamos! Depois a coisa degringolava e  tudo ia por água abaixo. E não foi diferente no caso do Velódromo. Extinguiu-se a União Velocipédica Maranhense, que teve assim, pouca duração. Tentaram-se outras promoções, mas elas tinham deixado de reunir o grande público, como nos áureos tempos. Quando 1901 desabrochou, já encontrou nosso velódromo agonizante...". (p. 232). Passada essa primeira fase e o apego à difusão do "esporte do pedal", a bicicleta, deixou de ser utilizada para a competição, tornando-se uma forma de lazer, pois possuir uma 'máquina" era tarefa afeita às pessoas de boa situação econômica (MARTINS, 1989).

SIMÃO FÉLIX

1908 maranhense de Grajaú, onde nasceu em 3 de maio de, praticou o futebol, o basquetebol, voleibol, motociclismo, natação, remo e muitas outras modalidades. Era um autêntico campeão.

1915 Veio para São Luís em 1915, quando tinha 7 anos de idade, localizando-se na Rua da Palma. Largo das Mercês e Quartel da Polícia [onde hoje é o Convento das Mercês]; foram os seus primeiros locais de diversão. Em tais locais, começou a chutar "bola de meia" e aprender a correr, em vista de aproximação dos policiais. Depois do futebol, passou a ser remador. Construiu a piscina do Genipapeiro, em companhia de outros colegas e fez daquele local o seu ponto de recreio. Possuía um bom "yole" e remava com relativa facilidade. Como futebolista, jogava pelo Sírio.

- Faltava um guardião para o time da Montanha Russa e Simão, que era bamba no basquete e volei, foi encarregado de guarnecer a cidadela do Sírio. No dia da estréia do grêmio árabe, Simão fez defesas espetaculares, chegando a defender três penalidades. O Sírio venceu o Libertador por 1 x 0. Antonhinho, Simão, Fuad Duailibe, Chafi Heluy, César Aboud, Amintas Pires de Castro, Silva e Jaime também colaboraram bastante. Simão disputou várias partidas pelo Sírio, porém devido a seu estado de saúde deixou de praticar esportes por algum tempo, indo para o interior do Estado. Quando não quis mais jogar como goleiro, João Mandareck estava fazendo misérias no arco, Simão passou a zaga, até a extinção do Sírio, abandonando o futebol. Continuou apenas com a prática da bola-ao-cesto, bola ao ar (volei ?), atletismo, motociclismo, tênis, remo e outros esportes.

1947 Simão Félix deixou de praticar o basquete e o volei em 1947, quando figurou na equipe do Pif-Paf, num campeonato interno organizado pelo Moto Clube.

- O crack praticou também o box, tendo disputado uma luta no Éden (cine Éden, onde hoje é a loja Marisa, na Rua Grande) contra um pugilista cearense. - Era louco por corrida de bicicleta e motocicleta. Como também a pé, demonstrando sempre muita resistência. No lançamento do peso, do disco e do dardo era bamba, o mesmo acontecendo nos 100 metros e no salto em extensão.

1929 eclodiu novo movimento renovador de uso da bicicleta em competição, sob a responsabilidade dos esportistas Zairi Moreira, Carlos Cunha e Menandro Gonçalves, com a criação do "Velo Club". Chegaram a promover alguns treinamentos, inscreveram associados, e promoveram algumas provas isoladas, como a corrida de 7 de setembro de 1929, como parte das comemorações da Independência. A corrida foi do Largo do Carmo à Vila Maranhão, com passagem pela Vila do Anil, uma grande distância em que, além da velocidade, reclamava muita resistência dos concorrentes: Joaquim Leonor, Manoel Santos Castro, Raimundo Raposo, Henrique Gago, Manoel Marçal, Joaquim Sousa e Lázaro Jorge. Os árbitros - Passos Filho e Arnaldo Moreira - acompanharam toda a corrida de automóvel.

1932 De acordo com MARTINS, só se voltou a tomar conhecimento do uso da bicicleta como esporte de competição, com o Ciclo Moto Clube de São Luís;  Zairi Moreira estava, outra vez, envolvido ...

1937 – setembro, o Moto Clube de São Luis é oficialmente fundado, com a denominação Cicle-Moto de São Luís; alguns jovens das melhores e mais tradicionais famílias de São Luís começaram a se dedicar, em seu tempo livre, a uma grande paixão em princípios daquele ano: o amor pela velocidade sobre duas rodas. As provas eram disputadas nas ruas do centro da cidade: Montanha Russa, Rio Branco, e Avenida Beira Mar; as provas de ciclismo eram disputadas na Praça Pedro II;

o Sindicato dos Chauffers programou para 12 de setembro uma corrida de automóveis, com saida na Praça do Cemitério com chegada no Canto da Viração, ao longo der toda a extenção da Rua do Passeio; participaram também sutos, bicycletas e motocycletas, junto com os automóveis.

 

Fonte: LEOPOLDO GIL DULCIO VAZ e DELZUITE DANTAS BRITO VAZ. A INTRODUÇÃO DO ESPORTE (MODERNO) EM MARANHÃO IN VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA, ESPORTES, LAZER E DANÇA, Ponta Grossa – Paraná (Brasil), 14 a 17 de novembro de 2002. Coletâneas ... Ponta Grossa-Pr : UEPG, 2002. ( Publicado em  CD-Room). Ver, também, “O lúdico e o movimento em Maranhão”, VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. In Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, ano 7, no. 37, junho de 2001, disponível em www.efdeportes.com.

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.