Cinética de Remoção de Lactato Frente a Diferentes Ordens de Exercícios Isolados e Multiarticulares no Treinamento de Força

Por: A. C. Paulodetto, C. R. Lopes, D. A. Corrêa, E. G. Soares, E. P. Serpa, , J. J. Silva, P. H. Marchetti e W. A. Gomes.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Exercícios isolados e multiarticulares têm sido amplamente utilizados em programas de treinamento de força como ferramenta para o desenvolvimento de diversas capacidades físicas. A manipulação da ordem dos exercícios tem demonstrado alterar os marcadores de carga externa como a carga total levantada e marcadores de carga interna como a contribuição da via glicolítica, alterando assim a magnitude de estresse causado pela sessão de treinamento. Portanto, o objetivo do presente estudo foi avaliar a cinética de remoção do lactato frente a diferentes ordens de exercícios isolados e multiarticulares no treinamento. A amostra foi composta de 14 adultos jovens treinados, com experiência nos exercícios propostos. Foram realizadas duas sessões de coleta de dados. Durante a primeira sessão foi realizado o teste de 10 RM nos exercícios supino reto (SP) e tríceps na polia (TP), independentemente. Na segunda sessão, duas condições aleatorizadas foram testadas: (1) pré-exaustão (PRE) sendo TP+SP e (2) tradicional (TRAD) sendo SP+TP. Ambas as condições foram testadas sem intervalo entre exercícios, entretanto, foi adotado um intervalo de 30' entre protocolos. Os sujeitos foram orientados a realizar o número máximo de repetições nos exercícios realizados. A cinética de remoção de lactato foi realizada por punção digital previamente, e em 4 momentos após o término de cada condição (0, 3, 5, 10 minutos após). As amostras coletadas foram analisadas através de um analisador de lactato da marca Yellow Springs. Uma ANOVA (2x5) de medidas repetidas foi utilizada para comparar as médias entre condições. Um teste t de Student foi utilizado na comparação do lactato total (somatória de todos os pontos analisados). Para todos os testes uma significância de 5% foi adotada. Adicionalmente, foi utilizado o cálculo do tamanho de efeito (TE) para comparação entre protocolos. Os resultados demonstraram um aumento significante do lactato em todos os momentos após a realização de ambos os protocolos em comparação ao baseline. Entretanto, não foram observadas diferenças entre os protocolos em nenhum dos momentos analisados. Adicionalmente, a remoção de lactato total, também não diferiu entre condições (PRE 8,8±16 mmol/L e TRAD 9,4±1,5 mmol/L, P=0,91; TE=0,38 [pequeno efeito]). O presente estudo conclui que a ordem de realização de exercícios isolados e multiarticulares não altera a cinética de remoção de lactato bem como sua remoção total em uma sessão de treinamento de força. 

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.