Comparação Entre o Treinamento Físico Funcional Militar e o Tradicional da Fab: Influência no Desempenho Físico de Cadetes

Por: Leandra Cristina Benetti Campos.

107 páginas. 2020 27/11/2020

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar o efeito de oito semanas de um Treinamento Físico Tradicional (TFT) e do Treinamento Físico Funcional Militar (TFFM) sobre o desempenho físico e operacional de jovens cadetes de infantaria da Força Aérea Brasileira (FAB). Este estudo de característica experimental, teve como amostra 27 cadetes do sexo masculino (idade: 22,8±1,6 anos, massa corporal: 75,95±9,20 kg, estatura: 1,77±0,05 m) que foram estratificados de acordo com níveis iniciais de aptidão física e alocados de maneira aleatorizada em um dos grupos TFT (n= 13) ou TFFM (n= 14). O grupo TFT, realizou o treinamento físico militar baseado na Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA 54-3) previsto para os militares da FAB e o grupo TFFM realizou exercícios funcionais operacionais específicos. As variáveis foram analisadas por meio de duas avaliações no início e no término do protocolo de oito semanas de treinamento. Foram realizadas avaliações antropométricas: massa corporal, estatura, circunferências (bíceps contraído, quadril e cintura), dobras cutâneas (tricipital, peitoral, abdominal, coxa e perna medial), percentual de gordura, espessura muscular (bíceps braquial, tríceps braquial, vasto lateral e reto femoral) e de capacidade física: potência de membros inferiores (salto vertical squat jump e contramovimento), resistência de membros superiores (flexão de braços), resistência muscular abdominal, resistência aeróbia e teste físico operacional militar. Foi realizada análise da carga interna de treinamento por meio da percepção subjetiva de esforço. A análise de variância (ANOVA) de dois fatores (grupo e tempo) com medidas repetidas no segundo fator e post-hoc de Bonferroni foram empregados para análise dos dados. Os tamanhos dos efeitos foram apresentados pelo eta parcial ao quadrado (ηp²) e pelo dz de Cohen. As análises foram realizadas pelos softwares Statistica for Windows, versão 5.0 e IBM SPSS, versão 22.0. O nível de significância adotado foi p < 0,05. De acordo com os resultados, não foi encontrada interação grupo e tempo para nenhuma variável. Em relação às comparações de momentos, os efeitos principais das variáveis que diminuíram com o tempo para ambos os grupos foram: massa corporal (p < 0,001), circunferências do bíceps contraído (p < 0,001), da cintura (p < 0,001) e do quadril (p < 0,001), relação cintura-quadril (p < 0,001) e espessura do reto femoral (p < 0,001). As variáveis que aumentaram com o tempo para ambos os grupos foram resistência de membros superiores (p < 0,001), da resistência abdominal (p < 0,001), da resistência aeróbia (p < 0,001) e da altura no salto squat jump (p < 0,001) e reduziram o tempo no teste físico operacional militar (p < 0,001). Em relação a carga interna de treinamento, não foi observado interação entre grupo e semanas (p = 0,136), mas foi observado efeito no fator grupo (p = 0,039) com post hoc de p = 0,039. De acordo com as análises, ambos os grupos TFT e TFFM foram efetivos na melhoria do desempenho físico e operacional em militares depois de oito semanas de treinamento.

Endereço: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.xhtml?popup=true&id_trabalho=10446090

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.