Criança, Tarefa e Meio Ambiente na Instituição de Ensino Infantil em Uma Cidade do Interior de São Paulo

Por: Barbara Detoni Borba Blanco.

135 páginas. 2014 11/02/2014

Send to Kindle


Resumo

As Instituições de Ensino Infantil foram incialmente criadas para cuidar das crianças cujos pais destinavam-se ao mercado de trabalho. Entretanto, atualmente estas instituições possuem caráter educativo, compõe a primeira etapa da Educação Básica e tem como objetivo o desenvolvimento integral da criança. O número de crianças atendidas neste nível de ensino é crescente, tornando a escola um dos principais ambientes para o desenvolvimento infantil. Para que o ambiente seja considerado primordial este deve ser mediado por adultos comprometidos com o desenvolvimento integral da criança, favorecendo atividades que estimulem relacionamentos interpessoais, papeis sociais e atributos pessoais de acordo com a Ótica da Teria Bioecológica. Apesar de avanços nas propostas pedagógicas, pouco se tem investigado sobre o ambiente gerado nestas instituições. Assim este estudo analisou a o ambiente (microssistema) propiciado durante a realização de atividades cotidianas em escolas infantis, construindo a história do Ensino Infantil nesta cidade (macrossistema) e os recursos pessoais das professoras. Métodos: Trata-se de uma pesquisa de campo, do tipo exploratória verificando a os recursos profissionais e o ambiente gerado durante o cotidiano escolar de 38 turmas com crianças de zero a seis anos, pertencentes a 22 escolas municipais. O perfil das profissionais foi verificado através de um questionário e as atividades foram registradas por filmagens, com dados transcritos verificando-se os aspectos pedagógicos da atividade (instruções dadas, materiais utilizados, possibilidades de escolhas), atributos da criança (recursos, disposições e demandas), papéis sociais e relacionamentos pessoais, de acordo com pressupostos da teoria Bioecológica. Resultados e Discussão: Todas as profissionais eram do sexo feminino, a maioria com formação acadêmica em nível superior. A história do município (macrossistema) demonstrou exercer influência recíproca no microssistema. Vários tipos de atividades foram realizados como jogos tradicionais, contação de histórias, atividades livres, circuito, atividades manuais, brincadeiras e rodas cantadas. Verificou-se que 60% das relações sociais ocorreu entre a criança e a professora. Os principais atributos pessoais observados foram interesse, participação, engajamento; a habilidade motora principalmente exigido era de sentar (58%), enquanto 26% incentivou habilidades de locomoção e habilidades de manuseio foram observadas em 18%. Foram observadas treze papéis sociais diferentes. A maioria das atividades teve estilo de ensino diretivo 81%, oferecendo poucas oportunidades para as crianças explorar a criatividade e a solução de problemas. Conclusão: Os resultados demonstraram que as atividades ofereceram poucas oportunidades de socialização e prática de habilidades motoras e falta de oportunidades para tomar decisões com autonomia, o que resulta em um ambiente pobre que pode não oferecer oportunidades suficientes para as crianças a alcançar seu potencial de desenvolvimento.

Endereço: https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=1251

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.