Dom Pedro

Por: e Vários Autores.

Atlas do Esporte do Maranhão.

Send to Kindle


Nos anos 80, a Secretaria de Educação do Estado do Maranhão lançou o Projeto de Monografias Municipais visando colher informações básicas sobre os municípios, a serem aplicadas no ensino dos Estudos Sociais. Trabalho iniciado em 1981 pelo Projeto de Coordenação e Assistência Técnica ao Ensino Municipal implantado no estado em 1977, para atender somente aos municípios da Baixada Maranhense, e posteriormente estendendo sua atuação a outros. São dessas monografias que tiramos as informações sobre os esportes e a recreação desses municípios.

Além das monografias, está-se utilizando livros lançados sobre as histórias das diversas comunidades maranhenses. As fontes, estão indicadas quando da utilização de uma ou outra obra.

Ainda, alguns levantamentos foram feitos por alunos do CEFET-MA, do curso de Licenciatura em Biologia, disciplina Educação Física, naquelas cidades em que ministrei aulas e/ou por alunos do Curso Seqüencial de Educação Física da UEMA, da disciplina História da Educação Física e dos Esportes. Nesses casos, os pesquisadores estão citados nos seus respectivos levantamentos da memória de suas cidades.

Onde não estão indicados, é de minha autoria...

Atualmente (2006) o Estado do Maranhão possui 217 (duzentos e dezessete) municípios.

1915 - Manoel Nascimento chegou à gleba isolada e desconhecida, por isso sendo considerado seu primeiro habitante; o local passou a ser conhecido como Mata do Nascimento

1917 – chega ao local o sr. Manoel Bernardino de Oliveira, e a gleba começa a receber inúmeros colonizadores

1922 – sob orientação de Manoel Bernardino, um grupo de lavradores dirigiu-se a Codó e solicitou uma escola para seus filhos. Não foram atendidos e ainda foram censurados pela administração municipal, além de receberem ameaças. Por essa razão, os habitantes da Mata do Nascimento passaram a insurgir-se contra os administradores de Codó. Uma força policial foi mandada – volante, sob o comando do Tent. Henrique Dias, para um corretivo, resultando em um verdadeiro massacre contra a população.

1928 – foi construída a primeira escola

1931 – a gleba passou a categoria de vila, recebendo o nome de Vila Pedro II

1942 – morre Manoel Bernardino.

1943 – por força de decreto-lei federal, que proibia duas cidades com o mesmo nome, passou a denominar-se Dom Pedro

1952 – pela Lei no. 815, de 9 de dezembro, foi elevado a município, desmembrado de Codó.

Dom Pedro está localizado na zona fisiográfica do Itapecuru – 12 Presidente Dutra; altitude: 160 metros; clima temperado e salubre com chuvas e trovoadas de janeiro a abril e estio de julho a dezembro; temperatura máxima de 38 graus e mínima de 18; área de 759,9 quilômetros quadrados e população de 19,934 pessoas, sendo 90% na zona rural.

Fontes: CARDOSO, Manoel Frazão. O MARANHÃO POR DENTRO. São Luís: Lithograf, 2001.  PEREIRA, Jonas Oliveira. DOM  PEDRO NA HISTÓRIA – Mata do Nascimento. Codó: (s.e.; s.d.) DOM PEDRO, Prefeitura Municipal. HISTÓRICO DO MUNICÍPIO DE DOM PEDRO. Codó: (s.e.; s.d.)

ATLETISMO

Solange Maria

  Lenita Borges

1972 – Corrida do Fogo, promovida pelo governo federal, em comemoração aos 150 anos da República; alunos das escolas a transportaram até a cidade de Capinzal, distante 40 quilômetros de Dom Pedro; participaram 20 alunos, sendo dez das escolas Rui Barbosa e Dom Pedro; dentre os participantes, Azeide Monte Palma e Charles Ramos de Lima;

1975 – Azeide Monte Palma participa de uma corrida na abertura das festividades carnavalescas, onde o bloco que chegasse em primeiro lugar na praça da Prefeitura ganhava vários prêmios e a fama;

1999 – durante as comemorações do 47º. Aniversário da cidade, foram realizadas duas corridas, com 40 inscrições e distribuição de prêmios, sendo uma de atletismo e outra de ciclismo; no Atletismo, foram disputadas provas de 100 e 500metros; Albeane Silva Mendes inscreve-se nas duas provas, chegando em primeiro no ciclismo e nos 500 metros; o segundo colocado foi Augusto, e o terceiro, Genival.

2006 – desde 1999 nada mais foi feito em termos de atletismo na cidade

Fonte: Azeide Monte Palma e Albeane Silva Mendes. Entrevistas.

BASQUETEBOL

  Artenísia Gomes Montel

  Diana Rodrigues do Nascimento

  Dirice de Sousa Mendes

  Leide Francisca de Oliveira

1992 – o empresário Charles Antonio R. de Lima funda o Náutic Club, instalando material básico para a prática do Basquete;

1993 – Joab C. P. Barreto e alguns amigos começam a jogar basquete de maneira rústica na Praça Teixeira de Freitas, Rua Engenheiro Rui Mesquita;

1994 – o grupo de Joab se fortalece com a presença de Márcio Rodney C. P. Barreto, Ric hard Harrisson R. de Lima, João conhecido como Dandão, Roberto Ferreira Valverde e outros, que passam a jogar no Nautic Club;

1995/1996 – com o fechamento do Nautic Club, e alguns componentes do grupo irem estudar fora, o grupo deixa de jogar;

1999 – os estudantes Luis Paulo R. de Sousa, Evandro Barros e Paulo Henrique resolvem improvisar um aro e jogar Basquete (Arremessos) na rua Jorge Fernandes, em frente ao Clube Pindorama; a atividade durou apenas três meses.

Fonte: LIMA, Charles Antonio Ramos; BARRETO  , Joab Costa Paula; SOUZA, Luis Paulo Rodrigues. ENTREVISTAS

CAPOEIRA

  Francisca de Sousa Ferreira

  Maria da Conceição Sousa Barros

  Maria Clores Sousa Araújo

  Maria Francisca Rodrigues Fonseca

1997 – Maikon da Silva Melo , Iranaldo  Pacheco Lima e Marcone Palhano Cruz fizeram contato com um adolescente integrante de um grupo de capoeira de São Luís, que lhes passou várias informações como movimentos corporal e uso de instrumentos. A partir daí, fundam o primeiro grupo de capoeira de Dom Pedro, com o nome de Arte Brasil;

1999 – o grupo, liderado por Ironaldo Pacheco Lima, agora com 13 integrantes, iniciam seus ensaios na BR 135, terrenos baldios e Praças, por falta de local adequado; com a ajuda de algumas pessoas, como Almunzer Bezerra Jadão, Evanilde Campos, Ewerton e Fabiana Helena Costa Rodrigues o grupo se torna conhecido; nesse mesmo ano ,fizeram sua primeira apresentação nos Jogos Escolares, na Unidade Integrada Estado da Paraíba;

2000 – o grupo de Dom Pedro participa de um evento, na cidade de Presidente Dutra, estadual, promovido pela AZEL; conheceram o Professor Fábio, do grupo Raízes do Brasil, da c idade de Teresina-PI, o qual contribui para a filiação do grupo na Federação Brasileira;

2003 – o grupo é batizado, na cidade de Altos, no Piauí, e Maikom da Silva Melo recebe a graduação faixa verde, e o batizado de Bujão;

2006 – o grupo é composto de 13 pessoas, com faixa etária entre 13 a 21 anos

Fonte: MELO, Maikon Silva. ENTREVISTAS

CICLISMO

Maria Amélia Silva Pereira

Maria Madalena Fernandes Araújo

Maria Shirlane da Silva Amorim

Sâmia Damasceno Tavares

1984 – 7 de setembro – promovida a primeira competição pela Escola Colégio de Dom Pedro, sendo dirtora Luicia de Fátima Rocha; a organização da competição ficou a cargo do professor Benones; o evento foi restrito a alunos da escola; o percurso de 2000 metros; a corrida foi realizada a noite, com um percurso saindo da Clinica Santa Teresinha até a Praça da Igreja Matriz, com 60 inscritos; o primeiro colocado foi Milton César Guimarães Tavares; o segundo, Nilton Cavalcante; o 3º foi Canhoto;

1985 – realizada a segunda prova de ciclismo na cidade, sob o patrocínio das Lojas A Credinorte Móveis, não se conhecendo os vencedores;

1998 – a terceira competição foi realizada pela Prefeitura Municipal, por ocasião da comemoração do 46º aniversário da cidade; houveram inscrições para ambos os sexos, mas apenas uma mulher se inscreveu na categoria feminina; teve que correr junto com os homens, vencendo a prova – Vera Lucia da Silva Lima, do povoado Cajá.

1999 – realizada nova competição – a 4ª – em comemoração ao 47º aniversario da cidade. A competição foi realizada nas categorias masculina e feminina; desta vez, houveram outras mulheres inscritas, e Vera Lúcia tornou a vencer a competição, na sua categoria; a segunda colocada foi Cecília Silva. Na masculina, o vencedor foi Albeane Silva Mendes, seguido de Augusto da Silva e em 3º Genival Silva. O evento teve a cobertura da Radio Comunidade Viva FM de Dom Pedro.

2001 – ocorreu uma apresentação do grupo de ciclista de Freitas do Pedal, a convite da Prefeitura Municipal; fizeram várias números ciclísticos e marabalisticos, como saltar sobre obstáculos, equilibrismo, cambalhotas, etc.

2006 – nada mais foi feito de ciclismo desde então

Fonte: TAVARES, Milton César Guimarães. ENTREVISTAS.

MENDES, Ginival Silva. ENTREVISTAS

MENDES, Albeane Silva. ENTREVISTAS

LIMA, Vera Lúcia da Silva. ENTREVISTAS

FUTEBOL

Leylane Lemos Silva

Marluce Costa de Sousa

Renata Cristina Lima Rodrigues

Valdinéia Belém Cunha

1943 – nasce, em Dom Pedro, o ‘Tiradentes Futebol Clube’, tendo como Presidente Nemésio Fernandes Rocha, e o ‘15 de Novembro’. Destacam-se os jogadores José Nogueira e Abreu, que passam a jogar pelo Nacional de Codó; e Onorino, que também foi jogar em Codó;

DÉCADA DE 1950 – surge o ‘Comercial Clube’, dos comerciantes da cidade, que posteriormente passou a chamar-se ‘Arsenal Futebol Clube’, equipe das elites, fundado para desbancar o velho ‘Tiradentes’, mas nunca lograram êxito. Os fundadores do ‘Comercial”, depois Arsenal, foram Francisco Falcão Costa, Cloves Rodrigues Silva, Juarez e Pedro James e o presidente era Cloves Rodrigues.

1950-1969 – vestindo a camisa tricolor – vermelho, preto, branco – do Tiradentes, destacaram-se: Dr. Gasperino (advogado); Floriano Machado, Adalberto Caetano, João Quiper; Cícero; Juarez Cardoso; Joaquim Pontes; Diassis; Riba Baralho; Abreu; Martins; Toinho Padeiro, Xavier.

1957/1959 – período de melhor faze do Arsenal Futebol Clube, destacando-se o jogador Valdenir, que mais trade jogou no Botafogo de Teresina, disputando o Campeonato Piauiense;

1962 – O Arsenal deixa de existir;

1964 – segundo informações de Adalberto Machado, jogador do Tiradentes durante vinte anos, outros destaques do Tiradentes foram: José (Zé), que passou a jogar pelo Esporte Recife; Pé-de-Pão jogou no Moto Clube de São Luís e  posteriormente no Imperatriz; Pedro do Correio jogou no Ceará Esporte Clube; Zé Totó, maior goleiro da região, jogou no Imperatriz; Nenén, jogou no Imperatriz e no Cavalo de Aço (também de Imperatriz); Panêga, apesar dos convites do Vasco, nunca quis sair do Tiradentes.

1973 – Romy Leite Farias, jogador do Tiradentes, desataca-se jogando no América e São Cristóvão do Rio de Janeiro, disputou o Campeonato Sulamericano em Santiago do Chile, vestindo a camisa canarinho do Brasil;

1977 – Faleceu na cidade do Rio de Janeiro o presidente do Tiradentes.

1990 – 10 de março – surge o Corinthians Futebol Clube (Mata Velha), tendo como seu primeiro Presidente Antonio Cloves de Sousa (Cloves Bezerra); durante os vários campeonatos que o time disputou, o jogador de maior destaque foi João Filho

1996 – 1º de maio, fundação do Imperador Futebol Clube, tendo com o Presidente Antonio Vieira de Lima. O time disputou vários campeonatos municipais e inter-municipais, sendo campeção 22 vezes e vice, duas. Destacaram-se João Leite, Jamil e Antonio Santana, que jogaram pelo BEC (Bacabal Esporte Clube) disputando o campeonato maranhense; depois jogaram pelo Flamengo do Piauí.

1999 -  1º de março – fundação do Dom Pedro  FutebolClube por Luis Carlos Jorge (Papagaio). Recentemente, destacou-se Antonio Teladrã, Everton Mayronnave, primeiramente em Santa Inês e em seguida foram para o River do Piuauí; atualmente, está sendo cogitado a jogar em Minas Gerais.

2006 – Tiradentes Futebol Clube, o pioneiro, encontra-se em estado letárgico, hibernado; os times Corinthias, Dom Pedro e Imperador encontram-se em plena atividade.

OUTROS FATOS:

TIRADENTES x LAGO DO JUNCO

Durante uma competição em Lago do Junco – Inter-municipal promovido pela FMD, o Tiradentes venceu o time da casa por 3x0; os jogadores, e a torcida, são surpreendidos pelos torcedores da casa armados com talos de coco, e são surrados, decepcionados com a derrot.

ARSENAL

Quando foram jogar contra um time de São Luís, o Arsenal estava sem equipamento, então o presidente se deslocou até a cidade de Codó, usando como transporte um animal. Quando retornou a cidade, encontrou seu campo destruído pelo time rival (Tiradentes).

FONTES: ENTREVISTAS:

LIMA, José de Jesus Costa (Jesus); ROCHA, Adalberto Machado; SILVA, Cloves Rodrigues; MOURA, Pedro Alves; SOUSA, Antonio Cloves Lima; LIMA, Antonio Vieira; JORGE, Luis Carlos (Papagaio);

FONTES: ENTREVISTAS:

LIMA, José de Jesus Costa (Jesus); ROCHA, Adalberto Machado; SILVA, Cloves Rodrigues; MOURA, Pedro Alves; SOUSA, Antonio Cloves Lima; LIMA, Antonio Vieira; JORGE, Luis Carlos (Papagaio);

FUTSAL

Eline Silva de Sousa

Keila Chaves Silva

Maria Lucilene F. Costa

Vera Núbia F. de Sousa

DÉCADAS DE 1960-70 – duas escolas particulares, que funcionavam em prédios públicos, promoviam intercolegiais, organizados pelos Grêmios estudantis das mesmas: Colégio Dom Pedro, sob a direção de Ilzer Cordeiro, funcionava no prédio da Escola Ana Izabel Tavares; e o Colégio Rui Barbosa, sob a direção de Marlene Costa, funcionava na Escola Estado da Paraíba. Nessa época, destacou-se como melhor jogador José da Silva Lemos.

DÉCADA DE 1980 – as escolas mudam-se para prédios próprios, sem quadras de esportes e deixam de realizar os torneios. O Futsal passou a ser praticado de maneira informal, como a famosa pelada de fim de tarde, por alunos e vizinhos das escolas.

DÉCADA DE 1990 – 1998 – A Secretaria de Educação, dirigida por Evanilde Campos Everton, promove os Jogos Estudantis Dompedrense, onde participavam escolas municipais e estaduais,, com direito a prêmios as equipes campeãs e vice.

2002 -  os alunos do ensino médio da Escola Ana Isabel Tavares – CEEFMAIT -, liderados pelo professor Luis Agnaldo Gomes (Lula) realizam torneio inter-classe onde competiam turmas do turno vespertino e noturno. Ainda na mesma escola, nos anos de 2004/2005 foram realizados torneio inter-classes, desta vez liderados pelo aluno Luis Paulo, na ocasião atuando como membro do colegiado, representando os alunos.

2005 – campeonato promovido pela Escola Estado da Paraíba, sob a direção de Evanilde Campos Everton e organizado pelo professor Francisco das Chagas C. Pereira; competição que reuniu oito equipes, formado por alunos da escola e também um time formado pelos professores. Para 2006, está programado mais um campeonato.

Fonte: EVERTON, Evanilde Campos; PEREIRA, Francisco das Chagas; LEMOS, Jonas da Silva; LIMA, José de Jesus. ENTREVISTAS.

KARATÊ

Almunzeer Bezerra Jadão

1970 – O Karatê chega a Dom Pedro através de revistas em quadrinhos e filmes; Nasser Bezerra Jadão, dentre aqueles adolescentes que liam e assistiam a esses filmes, vem a se dedicar ao esporte, obtendo grande destaque não só na cidade, mas em todo o Estado;ç

1973 – Nasser Jadão conclui seus estudos de primeiro grau, e no ano seguinte vai para São Luís continuar os estudos; passa a freqüentar uma escola de karatê, a Academia Real; nas férias, passadas em Dom Pedro, praticava Karatê, ensinando aos amigos, formando um pequeno grupo de karatecas

1978 – Nasser recebe a graduação de faixa preta 1º DAN, retorna a Dom Pedro e abre uma escola, a Academia Samurai

1979 – Nasser é aprovado no vestibular para Educação Física e retorna a São Luís, deixando em Dom Pedro um aluno, Marcos, responsável pela sua academia, e continuando a vir a Dom Pedro todos os meses

1980  - Nasser casa-se e passa a residir em São Luís, onde funda uma escola, também com o nome de Samurai

NATAÇÃO (Atividades Aquáticas)

Everci Gomes Pereira

Francisca Almeida Alves

Maria das Neves David de Sousa

Severa Licar Silva Guimarães

1970 – foi construído um açude com recursos da Prefeitura Municipal, para resolver o problema de falta de água na cidade. Batizado de Lourenção, em homenagem ao pai do prefeito da época.

1972 – o Lourenção transborda, tornando-se uma das maiores atrações da cidade nos fins de semana;

1973 – a primeira dama da época, Dra. Ilzé Cordeiro, e seu sobrinho Francisco Porto, organizam um eventoi nas águas quentes do Lourenção, com várias competições: travessia a nado, numa distância de 300 metros; travessia sobre uma corda esticada a um metro do nível de água, onde o competidor deveria atravessa-la segurando-se;natação sobre câmara de ar; prova de mergulho, onde o competidor deveria apanhar terra ou objetos jogados no fundo do açude; havia premiação, com o comparecimento de pessoas de municípios vizinhos

Fonte: PEREIRA, Josél de Oliveira (Pinto). ENTREVISTAS

 

2005 Setembro -  chega a cidade Rildo Martins de Araújo, para visitar alguns parentes de seu pai, o Prof. Dimas; toma conhecimento da existência de um local, antigo clube, onde havia duas piscinas, uma para adulto e outra para criança e ampla área livre, com bancos, arvores e instalações de banheiros e chuveiros;

- em outubro, passa a fixar residência na cidade, e abre uma escola de natação, arrendando as instalações do antigo clube, e matem o nome de Náutico Clube; passa a oferecer natação, hidroginástica e recreação aquática. As aulas são realizadas três vezes por semana com duração de 50 minutos; tem em media 100 alunos, sendo 70 pagantes e 30 bolsistas; a mensalidade de R$ 30,00.

2006 - a escola é fechada, em março, por inadimplência

VOLEIBOL

Márcio Roney C. P. Barreto

Ângela Lemos

Conceição Noronha

Lucélia Cavalcante

 

1987 – começa a atuar na cidade a primeira geração do voleibol, formada por dois times, um masculino – Franklin, Sorlange, Regis, Airovan, Nió, Valdir, entre outros) e o feminino – Simone, Magda, Marci, Marcinha, Marise, e Sonia -; as condições de treino eram precárias, chegando a treinar em terrenos cheio de tocos e mato; com muita luta., conseguiram uma quadra, situada por trás do Clube Pindorama, porém muito irregular, cheio de rachaduras e tocos. Os próprios jogadores fizeram uma vaquinha e o conserto. Treinavam todos os dias, com os timos mistos, só dividindo por sexo quando de jogos com equipes de outras cidades. Esses treinos algumas vezes se estendiam até à meia-noite. Conseguiram uma equipagem com o então deputado Humberto Coutinho, da cidade de Caxias, e ambas as equipes a utilizavam nos jogos; a equipe que entrassem primeiro em campo, a usava e depois, a passava para a outra equipe. Depois, conseguiram um segundo uniforme. Essas formações duraram pouco, pois os jogadoreds aos poucos foram deixando a cidade, para estudar fora.

1994 -  a segunda geração começa com os seguintes jogadores: Márcio, Joab, Carlos, Will, Joãozinho, Ranilson, Raniere, Emilio, Maradona, dentre outros, mesclando-se com alguns jogadores da primeira geração. Para os treinos, não dispunham de quadra, e saiam as quatro horas da manhã, com um chamando o outro. Fato curioso: o primeiro que acordasse, tinha a obrigação de telefonar aos demais; aos que não tinham telefone, recomendava-se que dormissem com um barbante amarrado ao pé ou ao braço; quando passavam pela casa, puxavam o barbante, para não acordar os pais. Não houve a formação de time feminino; as poucas mulheres que jogavam o faziam junto com os homens. Participaram de alguns torneios, em outras cidades, e em Dom Pedro, um promovido pela Escola Estado da Paraíba, com cinco equipes masculinas.

Atualmente – o voleibol se resume a alguns encontros de peladeiros, pois não há local para treinos; as quadras existentes, em escolas, não são liberadas e a Prefeitura não promove o esporte.

Fonte: LEMOS, Antonia Simone; BARRÊTO, Márcio Roney Costa Paula. ENTREVISTAS.

INFORMAÇÕES BÁSICAS MUNICIPAIS

  Almunzer Bezerra Jadão

  Francisco Madeiro Gomes

  Idenê Lucas de Sousa

  Maria de Fátima Lemos

Na Lei Orgânica Municipal, em seu Capitulo VIII, art. 181 consta que “o município fomentará as práticas desportivas, especialmente nas escolas a ele pertencente”; tal prática não acontece em Dom Pedro, pois  não possui Secretaria de Esporte e foi constatado que o mesmo possui apenas uma estrutura física constituída de cinco campos de futebol, um estádio de futebol; está sendo construída uma quadra coberta no Conjunto Cândido Hermes, com previsão de conclusão para 120 dias (junho 2006); e a construção de um ginásio, no bairro Ceasa I, em parceria com a CEF, ainda não houve liberação da verba.

Das informações básicas municipais – formulário do IBGE – preenchido pelos autores deste capítulo, no que se refere a órgão gestor do esporte, inexiste; recursos humanos -  não existe; articulação institucional – não existe Conselho Municipal de Esporte; legislação municipal – Lei Organiza do Município prevê fomento as atividades esportivas, mas não h´pa atuação alguma; fontes de recursos públicos para o esporte anos 2002, 2003, 2004, e 2005 – não existe; convênios e parcerias – sim, para 2005, com a CEF para construção de uma quadra coberta (ginásio); ações, projetos e programas – apenas reforma do estádio municipal e realização de um campeonato de futebol.

LÚDICA POPULAR

Edinalva  Martins Aguiar

Lina Alves Sousa Parente

Maria de Nazaré Rodrigues de Sousa

Maria da Conceição Lopes de Sousa Vieira

DÉCADA DE 1940 – foi criada a ‘Dança da Mangaba’ pelos senhores José de Abreu, Sabino, e Humberto Amorim, na localidade Lagoa Nova, município de Santo Antonio dos Lopes, e levada para as demais localidades pelo senhor Antonio Puba. Passou a ser praticada principalmente nos finais de semana após os festejos. Nos povoados vizinhos costuma ser praticada na sexta-feira santa com o intuito de manter as pessoas acordadas para que rompam a aleluia.

DÉCADA DE 1980 – aparecem as quadrilhas organizadas, para brincar as festas juninas, havendo disputa entre elas; a quadrilha do Clube dos Jovens foi a primeira campeã, e tinha como puxador o sr. Juscelino Negreiros. Outras danças folclóricas: Bumba-meu-Boi; Dança Portuguesa; Carimbo; Dança do Quibane; Frevo; Polenta; Uva; Pau de Fita; e Cacuriá.

1993 – criado o “Carnaval na Praça”, realizado na Praça Teixeira de Freitas, denominado “Carnaval Real”, ano I.

2001 – criado o carnaval fora de época – micareta – pelo sr. José de Ribamar Costa Filho e liderado pelo sr. Sansão Ribeiro Hortegal, com o nome de Dom Pedro Folia.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.