Efeito da Utilização Isolada e Combinada de Roupas Impregnadas de Biocerâmica na Performance de Corrida de 10 Km

Por: C. S. Peserico, D. F. da Silva, F. A. Machado, F. A. Manoel, J. P. Furlan, L. A. Conrado e P. V. Mezzaroba.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Diversos efeitos da fototerapia sobre o metabolismo aeróbio são descritos na literatura, desde melhora da função e estrutura mitocondrial, até mesmo hiperemia local; no entanto, poucos estudos descrevem respostas da fototerapia como recurso ergogênico em performances aeróbias. O objetivo deste trabalho foi analisar o efeito do uso de roupas impregnadas de biocerâmica na performance de corrida de 10 km. Dez corredores do sexo masculino (28,2 ± 4,2 anos; 73, 0 ± 7,5 kg; 176,0 ± 7,0 cm; índice de massa corporal 23,5 ± 2,3 kgom2; percentual de gordura 19,3 ± 4,2%) familiarizados com a prática de corrida e provas de 10 km (tempo entre 40 e 60 minutos) realizaram três performances de 10 km em pista oficial de atletismo nas seguintes condições: utilizando roupas pessoais - controle (C), utilizando roupas impregnadas de biocerâmica (CER) e utilizando roupas placebo (PLA). A CER ou PLA foi utilizada durante 1 hora antes do início da performance de corrida. Durante todas as performances foram registradas, a cada 400 m, a frequência cardíaca (FC), a percepção subjetiva do esforço (PSE) e o tempo parcial de cada volta. Ao final, foi monitorada a percepção subjetiva da sessão (PSEsessão) e a percepção de dor. Foram coletadas amostras sanguíneas em repouso, ao final, no 3º, 5º e 7º minutos após o término da performance de corrida. A normalidade dos dados foi verificada pelo teste Shapiro-Wilk, quando confirmada comparou-se as condições pela ANOVA de medidas repetidas seguida do post hoc de Bonferroni. A suposição de esfericidade foi verificada pelo teste de Mauchly e, quando violada, os graus de liberdade foram corrigidos utilizando o teste de Greenhouse-Geisser. Quando a normalidade dos dados não foi confirmada, a comparação entre as condições foi feita através do teste de Friedman, o nível de significância adotado foi de P < 0,05. O Tamanho de Efeito (TE) e a Mínima Mudança Detectável (MMD) foram calculados para as variáveis. Não foram encontradas diferenças significantes nas comparações entre as condições. No entanto, as análises do TE e MMD mostraram que a utilização de CER durante a performance de corrida de 10 km diminuiu o tempo total de performance (CER = 51,4 ± 3,8 min; PLA = 53,1 ± 5,0 min). A PSEsessão e a percepção de dor foram maiores na condição CER quando comparadas com as demais; isso pode ser justificado pelo maior nível de performance apresentado nessa condição. Além disso, é possível que a CER tenha auxiliado na recuperação muscular, reduzindo a percepção de dor em momentos em que esta variável não foi acompanhada (24-48h após). As análises do lactato sanguíneo mostraram que a condição CER permitiu maior remoção deste após o término da performance. Esses resultados sugerem que é possível que a CER tenha efeitos ergogênicos e de recuperação tecidual, porém o tempo de aplicação e utilização desta tecnologia deve ser maior para que maiores efeitos sejam observados.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.