Efeito de Seis Semanas do Treinamento Intervalado de Sprints com Inclinação de 7% na Aptidão Cardiorrespiratória e Performance de Mulheres Corredoras

Por: Mateus Aparecido Stahl.

54 páginas. 2018 26/02/2018

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar os efeitos da manipulação da variável inclinação da superfície no treinamento intervalado de sprints (SIT), sobre a aptidão cardiorrespiratória de pessoas moderadamente treinadas. Participaram do estudo 16 mulheres (média ± desvio padrão: idade: 39,31±8,66 anos, massa corporal: 65,18±8,32 kg, estatura: 1,61±0,04 metros e percentual de gordura: 26,24±3,36 %), com experiência em treinamento de resistência (média ± desvio padrão 2,06 ± 0,68 anos). Os indivíduos foram designados aleatoriamente em dois grupos, G incl (grupo aclive) que realizou o SIT em superfície com 7% de inclinação e G plan (grupo plano) que realizou o SIT em superfície plana. Ambos os grupos realizaram 9 sessões de treinamento contínuo (TC) (total de 97 km) e 8 sessões de SIT (total de 4,5 km), distribuídos em seis semanas de treinamento, diferindo apenas a inclinação de superfície de corrida do SIT entre grupos. Em todas as sessões de treinamento, foi verificada a percepção subjetiva de esforço (PSE). O teste cardiopulmonar máximo foi realizado para determinar os parâmetros cardiorrespiratórios antes e após o período de treinamento. Para análise dos dados, foi utilizada estatística descritiva (média e desvio padrão), a normalidade foi verificada pelo teste de Shapiro-Wilk. Análise da variância de dois fatores (ANOVA-two way) seguido do teste post hoc de Bonferroni para comparar mudanças nas medidas ao longo do tempo entre grupos. Teste t independente para comparar valores de linha de base e percentual de alteração entre condições. O teste t dependente foi utilizado para verificar diferenças nas condições em cada grupo. Foi utilizando o programa computadorizado Graphpad Prism 6.0. O G incl apresentou maiores alterações (p < 0,05) sobre o consumo máximo de oxigênio (6,72±4,29% vs. 1,55±3,32%; effect size = 1,35) e velocidade do limiar ventilatório (7,84±5,00% vs. -1,03±9,85%; effect size = 0,87) comparado ao G plan. Em todas as sessões de SIT, G incl reportou maiores valores de PSE em relação ao G plan. Em conclusão, nossos dados indicam que SIT realizado com inclinação de 7% foi mais eficiente para a melhora da aptidão cardiorrespiratória em mulheres corredoras amadoras.

Endereço: https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=1752

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.