Epidemiologia e Etiologia das Lesões em Canoístas de Alto Nível

Por: , José Luis García Soidán, Manuel Isorna Folgar e Sergio Pérez Treus.

Revista da Educação Física - UEM - v.26 - n.3 - 2015

Send to Kindle


.Resumo

Nesta pesquisa descritiva de retrospectiva transversal, analisamos as lesões mais frequentes em atletas canoístas de águas calmas. Contamos com a participação de 362 canoístas, que responderam a um questionário adaptado sobre lesões. Obtivemos um índice de lesões nos canoístas homens de 1,43 e nas mulheres de 1,50; o 53,9% foram lesões do tipo leve. As lesões nos ombros atingiram o 32% nos homens e 42,7% nas mulheres. Encontraram-se diferenças significativas (p<0,01) nos homens em relação à duração do treinamento, e também com às horas dedicadas a dormir. A metade dos homens e mulheres lesionados pertencia à etapa de 14 – 16 anos, sendo a lesão por uso exagerado a mais frequente. Saber das lesões de canoístas é fundamental para a organização de esquemas preventivos adequados. Este estudo estabelece quais são as lesões mais frequentes em canoístas de águas calmas atualmente, aportando informações sobre os fatores relacionados a elas e sua prevenção.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/24511

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.