Estádios Sem Mito: Cadeiras e Esquizofrenia

Por: Gustavo Coelho.

Esporte & Sociedade - n.29 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Partindo de alguns relatos etnográficosao longo de uma pesquisa realizada no cotidiano de torcidas organizadas de futebol, em especial da Torcida Young Flu do Rio de Janeiro e de um grupo de torcedores do Paris Saint-German em Paris, este artigo, baseando-se teoricamente em autores que fazem dialogar os campos da antropologia e da psicologia como Durand, Clastres e mesmo Freud e Jung, trata do embate fundamental entrea coletividade da torcida,com todos os sintomas ao mesmo tempo prazerosos e perigosos e suaaparenteincompatibilidade aos projetos de Estádios destinados à Copa do Mundo de 2014 no Brasile à EuroCopa 2016, cujas arquiteturas trazem, camuflada sob um “conforto do torcedor”, sob uma “visão completa de campo”,sob a “cadeira”,uma preferência pela cisão dessas subjetividades táteisem favor de uma objetividade da visão, ou seja, privilegiamum torcedor mais do tipo individual, um torcedor sem mito

Endereço: http://www.esportesociedade.uff.br/esportesociedade/pdf/es2904.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.