Monitoramento dos Efeitos Agudos da Carga de Treinamento no Futebol

Por: Alexandre Freire Pinto, Danilo Reis Coimbra, Francine Caetano de Andrade, Maurício Bara Filho, Rogério Tasca Nunes e Ruan Alves Nogueira.

Revista da Educação Física - UEM - v.23 - n.4 - 2012

Send to Kindle


.Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar as alterações em variáveis hematológicas, enzimáticas e psicológicas como marcadores de carga de estresse em um microciclo na pré-temporada no futebol profissional. Oito atletas do sexo masculino da mesma equipe foram avaliados antes do treinamento (M1) e após 14 sessões (M2). O teste t-Student foi utilizado para calcular as diferenças entre M1 e M2. Nos marcadores hematológicos, foi observada queda nos eritrócitos (t(7) = 3,17; p = 0,01), hemoglobina (t(7) = 3,05; p = 0,02) e hematócritos (t(7) = 3,24; p = 0,01). Enquanto que nos enzimáticos observou-se aumento da CK (t(7) = -5,24; p = 0,001) e LDH (t(7) = -3,15; p = 0,01). Não houve modificações significativas nos marcadores psicológicos. A CK foi a variável mais sensível agudamente. Eritrócitos, hemoglobina, hematócritos e LDH são potenciais variáveis para o controle da carga de treinamento.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/16914/11087

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.