O Lugar da Cultura nos Jogos Olímpicos Rio 2016 Culture’s Place In The Olympic Games

Por: Juliana Carneiro.

Revista Argumentos - v.17 - n.2 - 2020

Send to Kindle


Resumo

O artigo analisa a programação cultural e artística dos Jogos Olímpicos Rio 2016, desde o processo de candidatura, considerando a centralidade da questão cultural na narrativa que tratou o megaevento como excelente oportunidade de apresentar ao mundo a diversidade e a potência das manifestações culturais nacionais. O processo de elaboração e execução do Programa de Cultura dos Jogos Rio 2016 é analisado a partir de algumas indagações: O que estava previsto no Dossiê de Candidatura como programa de cultura dos Jogos Olím-picos Rio 2016? Como foi o processo de governança da área cultural? Como a trajetória do programa de cultura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 dialogava com a realidade das políticas públicas vigentes? O planejamento do programa de cultura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, ao que se conclui foi tardio, descontinuado e desintegrado. Isso impactou para que o “lugar da cultura” nos Jogos Rio 2016 não tenha sido ocupado de forma estratégica e o legado cultural prometido não tenha se concretizado. Para o campo cultural, os Jogos Olímpicos Rio 2016 foram uma oportunidade perdida

Referências

ALMEIDA, Bárbara Schausteck de. “Altius, citius, fortius... ditius? Lógicas e estratégias do Comitê Olímpico Internacional, Comitê de Candidatura e Governo Brasileiro na candidatura e escolha dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016”. 2015. Tese (Doutorado em Educação Física) - Programa de Pós-graduação em Educação Física, Setor de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Paraná.

ALVES, Elder P. Maia; SOUZA, Carlos Alexsandro de Carvalho. A economia criativa no Brasil: o capitalismo cultural brasileiro contemporâneo. Latitude, v. 6, n. 2, 2012.

AMORIM, Simone. Cultura e democracia: a participação como elemento estruturante das políticas públicas de cultura no estado do Rio de Janeiro. 2017. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana) - Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e Formação Humana, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ.

BARBALHO, Alexandre. Política cultural em tempo de crise: o Ministério da Cultura no governo Temer. In: IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS CULTURAIS, 2018, Rio de Janeiro. Anais do IX Seminário Internacional de Políticas Culturais. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2018. Disponível em: http://culturadigital.br/politicaculturalcasaderuibarbosa/2018/08/16/anais-do-ix-seminario-internacional-de-politicas-culturais/. Acesso em: mar. 2019.

______. Política cultural, jogos olímpicos e os valores da criatividade e da diversidade. In: CALABRE, Lia (org.) Memória das olimpíadas no Brasil [recurso eletrônico]: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2017, v. 1, p. 54-73.

______. Políticas culturais no Brasil: identidade e diversidade sem diferenças. In: RUBIM, Antonio Albino Canelas; BARBALHO, Alexandre (orgs.). Políticas Culturais no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2007.

BARBOSA, Nelson; SOUZA, José. A inflexão do governo Lula: política econômica, crescimento e distribuição de renda. 14 nov. 2009. Disponível em: https://nodocuments.files.wordpress.com/2010/03/barbosa-nelson-souza-jose-antonio-pereira-de-a-inflexao-do-governo-lula-politica-economica-crescimento-e-distribuicao-de-renda.pdf. Acesso em: jun. 2019.

BARON, Lia; CARNEIRO, Juliana (orgs.). Gestão cultural. Niterói: Niterói Livros, 2018.

BARON, Lia. A territorialização das políticas públicas de cultura no Rio de Janeiro. Z Cultural. Rio de Janeiro, PACC/UFRJ, Ano XI, n° 1, 2016.

BOLAN, Eduardo Nivón. La política cultural: temas, problemas y oportunidades. México: Cona Culta; Fonca, 2006.

COMITE RIO 2016. Dossiê de Candidatura Rio 2016, v. 1, 2009. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/handle/123456789/594. Acesso em: 16 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.268/2016, de 12 abr. 2016. Abre crédito extraordinário, em favor dos Ministérios da Justiça, da Cultura, da Defesa, da Integração Nacional e do Turismo e de Encargos Financeiros da União, no valor de R$ 1.472.650.000,00, para os fins que especifica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13268.htm. Acesso em: jun. 2019.

______. Lei nº 13.341, de 2016, de 29 de setembro de 2016. Altera as Leis nº 10.683, de 28 mai. 2003, que dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios, e 11.890, de 24 dez. 2008, e revoga a Medida Provisória nº 717, de 16 mar. 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/Lei/L13341.htm. Acesso em: jun. 2019.

______. Lei nº 13.345, 10 out. 2016. Altera a lei nº 10.683, de 28 mai. 2003, cria as secretarias especiais dos Direitos da Pessoa com Deficiência e de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, e dá outras providências. Disponível em: https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/404205041/lei-13345-16. Acesso em: jun. 2019.

______. Ministério da Cultura. Caderno de Diretrizes do Plano Nacional de Cultura. Brasília: Ministério da Cultura, 2008.

______. Ministério da Cultura. Cultura em três dimensões: as políticas do Ministério da Cultura de 2003 a 2010. (Material informativo). Brasília: MinC, 2010.

______. Ministério da Cultura. Cultura nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. s/d. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B95cn6zYhKo4SUxudGhteTVyX00/view. Acesso em: mar. 2019.

______. Ministério da Cultura. Relatório de gestão. MinC, 2016. Disponível em: http://antigo.cultura.gov.br/documents/10883/1520817/Relat%C3%B3rio+de+Gest%C3%A3o+do+Exerc%C3%ADcio+de+2016.pdf/d07a670f-2209-4e78-95bd-42f550482704. Acesso em: mar. 2019.

BUARQUE, Bernardo; MEDEIROS, Jimmy; BISSO, Luigi. Megaeventos esportivos, opinião pública e mídia: um balanço da cobertura midiática e das pesquisas quantitativas sobre os jogos olímpicos Rio 2016. In: CALABRE, Lia (org.) Memória das olimpíadas no Brasil [recurso eletrônico]: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2017, v. 1, p. 115-138.

CABRAL, Eula. Os Jogos Olímpicos na mídia brasileira. In: CALABRE, Lia (org.) Memória das olimpíadas no Brasil [recurso eletrônico]: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2017, v. 1, p. 31-44.

CALABRE, Lia; LUSTOSA, Lilian. Celebração da diversidade brasileira: uma visada sobre a preparação da cultura para os jogos olímpicos. In: CALABRE, Lia (org.) Memória das olimpíadas no Brasil [recurso eletrônico]: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2017, v. 1, p. 45-58.

CALABRE, Lia. Cultura, territorialidade e direitos: a gestão municipal de cultura. In: BARON, Lia; CARNEIRO, Juliana (org.). Gestão Cultural. Niterói: Niterói Livros, 2018.

______. Políticas culturais e participação social: visadas históricas e futuros possíveis. In: XIII ENECULT – ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA, 2017, Salvador. Anais. Salvador: UFBa, 2017

______. Políticas culturais no Brasil: dos anos 1930 ao século XXI. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2009.

______. Desafios à construção de políticas culturais: balanço da gestão Gilberto Gil. Proa - Revista de Antropologia e Arte [on-line]. Ano 01, vol. 01, n.01, ago. 2009. Disponível em: http://www.ifch.unicamp.br/proa/debates/debatelia.html. Acesso em: nov. de 2019.

______. Políticas Culturais diálogo indispensável. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2005.

CARNEIRO, Juliana. O programa de cultura dos Jogos Rio2016: a disputa sobre o não feito. Recorde – Revista de História do Esporte, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 1-22, 2019.

______. O lugar da cultura nos Jogos Olímpicos: uma análise dos Jogos de Berlim (1936). FuLiA/UFMG, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 154-176, set./dez. 2018.

CARNEIRO, Juliana; FONSECA, Vivian. Cultura e Jogos Olímpicos Rio 2016: notas sobre gestão pública e políticas culturais. In: XIII ENECULT – ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA, 2017, Salvador. Anais. Salvador: UFBa, 2017. Disponível em: http:www.cultufba.br/enecult. Acesso em: mar. 2018.

CARVALHO, Laura. Valsa Brasileira: do Boom ao Caos Econômico. São Paulo: Todavia, 2018.

COMITÊ DE CANDIDATURA RIO 2016. Host city contract. Lausanne, 2009. Disponível em: http://prefeitura.rio/c/document_library/get_file?uuid=f24920c9-a85f-4eba-8bf9-0accd16cb2f5&groupId=5462046. Acesso em: nov. 2019.

COMITÊ RIO 2016. Dossiê de Candidatura do Rio de Janeiro a Sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016. V. 1, 2 e 3. Rio de Janeiro: Comitê Olímpico do Brasil (COB), 2009.

______. Programa de cultura - Celebra. Rio de Janeiro: Comitê Olímpico do Brasil (COB), 2014. v. 1, p. 5. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/bitstream/123456789/2240/1/2014_03_10_Programa_Celebra_Vers%C3%A3o_1%200.pdf. Acesso em: mar. 2019.

CUÉLLAR, Javier Pérez. Nossa diversidade criadora. Relatório da Comissão Mundial de Cultura e Desenvolvimento. Campinas/Brasília: Papirus/UNESCO, 1997.

FERREIRA, Juca. Preservação da Memória das Olimpíadas: projetos e ações (Fundação Casa de Rui Barbosa/Escola de Ciências Sociais, CPDOC - Fundação Getúlio Vargas). Entrevistas concedidas a Carla Siqueira e Vivian Fonseca. Rio de Janeiro: CPDOC-FGV, 18 jan. 2016 e 2 dez. 2016. Disponíveis em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/depoimentos.htm. Acesso em: jun. 2019.

FREITAS, Ricardo; RODRIGUES, Flávio; SANTOS, Maria. Estereótipos e Clichês: A (Re) Apresentação do Brasil na Cerimônia de Encerramento da Olimpíada 2012. Animus, Revista Interamericana de Interação Midiática. V. 13, n. 25, 2014.

GARCÍA, Beatriz Cox. London 2012: cultural olympiad evaluation. Institute of Cultural Capital, 2013. Disponível em: http://www.beatrizgarcia.net/wp-content/uploads/2017/03/Garcia2013London2012COEvaluation-Summary.pdf. Acesso em: mai. 2019.

______. The concept of olympic cultural programme: origin, evolution and projection. [online article]. Barcelona: Centre d’Estudis Olímpics (CEO-UAB), International Chair in Olympism (IOCUAB), 2010. Disponível em: https://ddd.uab.cat/pub/worpap/2010/181077/garcia_eng.pdf. Acesso em: mai. 2019.

______. The role Arts and Culture in the Olympic Games From Olympic Arts Competitions to Cultural Olympiads. 2012. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/43244645. Acesso em: mai. 2019.

GIL, Gilberto. Discurso de posse do ex-ministro Gilberto Gil. Folha de São Paulo, São Paulo, 2 jan. 2003. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u44344.shtml. Acesso em: mar. 2019.

GOLD, Maggie; REVILL, George. Reviving the panegyrics: cities and the staging of the Olympic arts and cultural festivals, 1896 to 2000. 2007. Disponível em: https://bit.ly/2L6NQSW. Acesso em: mai. 2019.

GOOD, Debora. The cultural Olympiad. In: CASHMAN, Richard; HUGHES, Anthony. (org.). Staging the Olympics: the event and its impact. Sydney: University of New South Wales Press, 1999. p. 159-169.

GUEVARA, M. Teresa. Análisis comparativa del programa cultural olímpico desde México’68 hasta Barcelona’92. In: GUEVARA, M. Teresa. Estudio comparativo de los programas culturales olímpicos desde México’68 hasta Barcelona’92: elementos para la definición de un proyecto cultural para Puerto Rico' 2004. Miquel de Moragas (ed.), apres. n. 12. Barcelona: Universitat Autònoma de Barcelona, Centre d’Estudis Olímpics, 1992.

HANNA, Michelle. Reconciliation in Olympism: the Sydney 2000 Olympic Games and Australia's indigenous people. Sydney: Walla Walla Press, University of New South Wales, 1997.

INTERNATIONAL OLYMPIC COMMITTEE (IOC). Olympic Charter. Disponível em: https://www.olympic.org/documents/olympic-charter. Acesso em: fev. de 2020.

LACERDA, Alice. Programa Cultura Viva: uma nova política do Ministério da Cultura. In: RUBIM, Albino (org.). Políticas culturais no governo Lula. Salvador: UFBA, 2010.

LOPES, Juliana. Um ciclo de políticas culturais e a centralidade da produção cultural das favelas e periferias do Rio de Janeiro: 2003-2016. Rio de Janeiro, 2018. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura) - Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MEDEIROS, Jimmy. Pesquisa da FGV-CPDOC analisa a percepção dos cariocas sobre grandes eventos. Fator Brasil. Disponível em: http://www.revistafatorbrasil.com.br/imprimir.php?not=359751. Acesso em: out. 2019.

MELO, Victor; DRUMOND, Maurício; FORTES, Rafael; MALAIA, João. Pesquisa histórica e história do esporte. Rio de Janeiro: 7Letras, 2013.

MORAGAS, Miguel. The Cultural Olympiad of Barcelona in 1992: Good Points and Bad Points. Lessons for the Future [online article]. Barcelona: Centre d’Estudis Olímpics - UAB, 2008. Disponível em: https://bit.ly/2IHJFP1. Acesso em: mai. 2019.

REIS, Ana Carla Fonseca. Cidades Criativas: da teoria à prática. São Paulo: SESI-SP, 2012.

RICHARD, T. Fomento e financiamento à cultura, ampliando a discussão. In: BARON, Lia; CARNEIRO, Juliana (orgs.). Gestão cultural. Niterói: Niterói Livros, 2018, p. 156-176.

RIO DE JANEIRO (Rio). Calendário cultural cidade olímpica. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/bitstream/123456789/2433/1/2015_09_26_Lançamento_calendário_cultural_olímpico.pdf. Acesso em: mar. 2019.

______. Secretaria Municipal de Cultura. A gestão da cultura carioca 2013-2016. s/d. Disponível em: http://prefeitura.rio/web/smc/exibeconteudo?id=6631785. Acesso em: mar. 2019.

RIO DE JANEIRO (RJ). Registros de repasses ou transferência de recursos financeiros. s/d. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/lei-de-acesso-a-informacao/registros-de-repasses-ou-transferencia-de-recursos-financeiros. Acesso em: mar. 2019.

______. Lei 5.498, de 7 jul. 2009. Dispõe sobre a qualificação de entidades sem fins lucrativos como organizações sociais, mediante contrato de gestão, e dá outras providências. Disponível em: https://gov-rj.jusbrasil.com.br/legislacao/817943/lei-5498-09. Acesso em: mar. 2019.

______. Projeto de Lei do Sistema Estadual de Cultura do RJ. Rio de Janeiro, SEC-RJ, 2013. Disponível em: www.cultura.rj.gov.br. Acesso em: jun. 2019.

______. Secretaria de Cultura. Padec: Programa de Apoio ao Desenvolvimento Cultural dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro. s/d. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/apresentacao-projeto/padec. Acesso em: mar. 2019.

______. Secretaria de Cultura. Sistema Estadual de Cultura. s/d. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/projeto/sistema-estadual-de-cultura. Acesso em: mar. 2019.

______. Secretaria de Estado de Cultura. Cultura: 2007 – 2014 (Relatório de Gestão). Rio de Janeiro: SEC-RJ, 2014.

ROCHE, Maurice. Mega-events and modernity: Olympics and expos in the growth of global culture. Nova York: Routledge, 2000.

RUBIM, Antonio Albino; BARBALHO, Alexandre; CALABRE, Lia (orgs). Políticas culturais no governo Dilma. Salvador: EDUFBA, 2015.

______. Políticas Culturais no Brasil: desafios contemporâneos. In: CALABRE, Lia (org). Políticas Culturais: olhares e contextos. Rio de Janeiro/São Paulo: Fundação Casa de Rui Barbosa/Itaú Cultural, 2015.

______. Políticas Culturais no Brasil: tristes tradições, enormes desafios. In: RUBIM, Albino; BARBALHO, Alexandre (orgs.) Políticas culturais no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2007, p. 11-36.

RUBIO, Katia. A imagem do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Revista USP, São Paulo, n. 110, p. 66-71, jul./set. 2014.

______. Agenda 20+20 e o fim de um ciclo para o Movimento Olímpico Internacional”. Revista USP, São Paulo, n. 108, p. 21-28, 2016.

______. Jogos Olímpicos da Era Moderna: uma proposta de periodização. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 55-68, jan./mar. 2010.

SEMENSATO, Clarissa. Contribuições de abordagens metodológicas para análise em políticas culturais. In: IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS CULTURAIS, 2018, Rio de Janeiro. Anais do IX Seminário Internacional de Políticas Culturais. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2018. Disponível em: http://culturadigital.br/politicaculturalcasaderuibarbosa/2018/08/16/anais-do-ix-seminario-internacional-de-politicas-culturais/. Acesso em: mar. 2019.

SOTO, Cecília et al. Políticas públicas de cultura: os mecanismos de participação social. In: RUBIM, Albino (org.). Políticas culturais no governo Lula. Salvador: UFBA, 2010.

UNESCO. Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais. Paris, 2005. Disponível em: http://www.cultura.gov.br/politicas5//asset_publisher/WORBGxCla6bB/content/convencao-sobre-a-protecao-e-promocao-dadiversidade-das-expressoes-culturais/10913. Acesso em: jun. 2019.

______. Declaração do México sobre políticas culturais. 1982. Disponível em: https://ich.unesco.org/es/1982-2000-00309. Acesso em: mai. 2019.

VICH, Victor. Desculturalizar a cultura: desafios atuais das políticas culturais. PragMATIZES - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura, Ano 5, n. 8, out. 2014/mar. 2015. Disponível em: https://periodicos.uff.br/pragmatizes/article/view/10398/7237. Acesso em: jun. 2019.

______. Desculturalizar la cultura. La gestion cultural como forma de accion politica. Buenos Aires: Siglo Vientiuno, 2014.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

Reportagens, Notícias, Artigos de Jornal e Revistas

BRASIL. Ministério da Cultura. Duas mil atrações culturais nas Olimpíadas. 4 mai. 2016. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/bitstream/123456789/1280/1/CT033%20-%202016_05_04_MinC_Programacao_prevista_Olimp.pdf. Acesso em: 1º nov. 2018.

DAVID, Flávia. Prefeitura lança Programação Cultural Cidade Olímpica. Rio Prefeitura, 3 ago. 2015. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?id=5501489. Acesso em: mar. 2019.

FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB MEMÓRIA). Memória das Olimpíadas. Busca “Maratona Cultural e Passaporte Cultural”. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/handle/123456789/1/simple-search?filterquery=Secretaria+Municipal+de+Cultura+%28SMC%29&filtername=author&filtertype=equals. Acesso em: jun. 2019.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS (FVG PROJETOS). Entrevista com Adriana Rattes: o desenvolvimento da esfera cultural do Rio de Janeiro. s/d. Disponível em: https://fgvprojetos.fgv.br/noticias/entrevista-com-adriana-rattes-o-desenvolvimento-da-esfera-cultural-do-rio-de-janeiro. Acesso em: mar. 2019.

JUCA Ferreira rebate acusações do atual MinC e classifica nova gestão de “incapaz”. O Globo, 23 jun. 2016. Disponível em: http://memoriadasolimpiadas.rb.gov.br/jspui/bitstream/123456789/1356/1/CT097%20-%202016_06_23_OGlobo_Juca_Ferreira_rebato_Minc.pdf>. Acesso em: mar. 2019.

RIO DE JANEIRO (RJ). Secretária de Estado de Cultura, Adriana Rattes fala sobre Rio Occupation London em workshop da APO e do MinC. Cultura.rj, 5 dez. 2012. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/imprime-noticia/secretaria-de-estado-de-cultura-adriana-rattes-fala-sobre-rio-occupation-london-em-workshop-da-apo-e-do-minc. Acesso em: mar. 2019.

RIO DE JANEIRO (RJ). Secretaria de Cultura. Secretária Adriana Rattes mostra “a cara do Rio” à diretora da Olimpíada Cultural de Londres. Cultura.rj, 7 abr. 2011. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/noticia/secretaria-adriana-rattes-mostra-a-cara-do-rio-a-diretora-da-olimpiada-cultural-de-londres. Acesso em: mar. 2019.

RIO recebeu 1,17 milhão de turistas na Olimpíada; 410 mil são do exterior. G1, 23 ago. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/olimpiadas/rio2016/noticia/2016/08/prefeitura-faz-balanco-da-olimpiada-e-paes-diz-que-o-rio-calou-criticos.html. Acesso em: out. 2019.

Downloads

PDF

Publicado

2020-07-20

Como Citar

Carneiro, J. . (2020). O lugar da cultura nos Jogos Olímpicos Rio 2016: Culture’s place in the Olympic Games. Revista Argumentos, 17(2). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3046

Edição

v. 17 n. 2 (2020)

Seção

Dossiê

Endereço: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3046

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.