Prática da Vela: a Questão dos Ritos e Riscos

Por: Ana Raquel Mendes dos Santos, Emília Amélia Pinto Costa Rodrigues, Patrícia de Jesus Costa dos Santos e .

Pensar a Prática - v.21 - n.3 - 2018

Send to Kindle


.Resumo

O estudo objetivou compreender o significado do rito na dimensão simbólica da prática da vela. A pesquisa etnográfica multisituada, teve a participação de 19 velejadores da cidade de João Pessoa–Paraíba–Brasil, em que foram entrevistados e observados antes, durante e após o velejo. Os resultados revelaram que os ritos na prática da vela consistem em três fases: i) passagem da terra para o mar, que caracteriza o afastamento da estrutura social; ii) fase limiar, a ação de velejar, que alcança o estado de comunhão; iii) passagem do mar para a terra, o reingresso a estrutura social, com a sensação de novo status. Conclui-se que os ritos na prática da vela colaboram para o velejador perceber o ressignificado da sua existência no mundo.

Endereço: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/45246

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.