Profissionais Iniciantes e Experientes no Mercado Fitness: Percepções Sobre a Superação dos Desafios da Prática Profissional

Por: K. M. C. Sachimbombo e R. T. Iaochite.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


.Resumo

O Brasil tem se destacado no tange ao número de academias de ginástica. Os números apontam que 60 a 70% dos egressos dos cursos de bacharelado têm escolhido esses locais como meio de se inserir na profissão. Entretanto, o setor apresenta-se cientificamente desprestigiado em relação ao escolar, caracterizando-o como marginalizado, envolto em interesses salariais e administrativos. Há indicativos de que as instituições de ensino superior apresentam dificuldade em formalizar e socializar os conhecimentos que configuram a intervenção profissional nesse setor, levando os egressos a não se perceberem capazes de responder as demandas desse mercado. Assim, esse trabalho objetivou descrever e analisar as percepções dos profissionais sobre os desafios de sua intervenção no contexto fitness, bem como identificar como esses profissionais reagem diante desses desafios. Trata-se de uma pesquisa do tipo qualitativa/descritiva que adotou a entrevista semiestruturada como instrumento para coleta de dados, que posteriormente foram analisados utilizando as técnicas de e Análise de conteúdo. Participaram desse estudo seis profissionais iniciantes (PIs) e experientes (PEs) que atuavam prioritariamente com o ensino de atividade física orientada. PEs indicaram à inserção e permanência no mercado de trabalho; o corpo; a criatividade; a motivação; baixa remuneração; e a falta instrumentação como desafios, emergindo a categoria "empregabilidade e sobrevivência". PIs citaram a dificuldade de ensinar sobre saúde; a relação entre pares; o conflito de interesses entre profissionais da área e os empregadores; os baixos salários; e o sindicato enfraquecido, emergindo a categoria "desafios ético-profissionais". Manifestou-se uma preocupação em relação à substituição por um profissional mais novo e menos qualificado, corroborando com a competitividade exacerbada, atendendo aos interesses dos empresários desse setor. Assim, o profissional utiliza a imagem dele como publicidade, mostrando-se portador das competências que atendam as demandas estéticas almejadas. Em decorrência dos diversos interesses na procura por esses serviços, verificou-se uma dificuldade em se pensar acerca do ensino. Sobre a superação dos desafios, PEs citaram o estudo; atentar para as exigências dos alunos; atuar espelhando-se em profissionais mais experientes. PIs assinalaram ser modelo para adesão de hábitos saudáveis; buscando manter o foco, permanecendo motivados para o trabalho; e afirmaram que desenvolvem sua prática de forma significativa para que o proprietário repense acerca de sua situação salarial. Contudo, a superação dos desafios parece ser isolada, não havendo clareza quanto aos saberes apropriados à superação dos desafios desse setor. Logo, evoca-se a necessidade de se investigar como se configura a intervenção profissional, a interlocução entre preparação profissional e mercado de trabalho, assim como as questões relacionadas à motivação para atuação nesse contexto da Educação Física.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.