Reflexões Sobre a Prática Interativa na Equoterapia à Luz da Praxiologia Motriz

Por: José Ricardo da Silva Ramos..

Conexões - v.18 - 2020

Send to Kindle


.Resumo

Este artigo tem como foco o estudo da Equoterapia dentro da Praxiologia Motriz. Em nossa análise, ressaltamos os fundamentos teóricos e operacionais da Praxiologia Motriz com a tarefa de analisar a Equoterapia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Nesse sentido, a pesquisa praxiológica realizou-se permeando a práxis da Equoterapia no espaço, tempo, estratégias motrizes, interações, estrutura, normas e na semântica de códigos semiomotrizes, desenvolvida pelos agentes da Equoterapia da UFRRJ. Essa situação motriz desencadeou um olhar praxiológico da ação motriz fundamentada na concepção da sociomotricidade equestre, que nos revelou os principais modelos operatórios de conhecimentos ocultos que foram observados no funcionamento de uma prática terapêutica. Assim, as lentes praxiológicas forjadas por Parlebas (1987, 1999) marcam os modelos operatórios para o desvelamento da estrutura interna de um encontro motor entre humanos e cavalos.

Referências

ANDE, Associação Nacional de Equoterapia. Curso básico de Equoterapia. Brasília: DF, 2013. Disponível em: http://equoterapia.org.br/articles/index/articles_list/134/80/0

CRUZ, F. Q. F. Equoterapia educacional: um aporte colaborativo na inclusão da criança com transtorno do espectro autista na escola – 119 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) – Instituto de Agronomia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 2016.

GRANJA, U.S.O. Conflicto y Educación Física a luz da praxiología motriz: Estudio de caso de un centro educativo primaria. Tesis Doctoral. Lleida, 2011.

HERNANDEZ MORENO, J. La praxiologia motriz, ciência de la acción motriz? In: Apunts Educación Física y Deportes. Catalunya: Institut Nacional d’Educación Física, 1993.

OTERO, F. L; BURGUÉS, P. L. Introdución a la Praxiologia Motriz. Barcelona: Editorial Paidotribo, 2003.

PARLEBAS, P. Perspectivas para una educacion fisica moderna. Andalucia: Andalucia, Unisport, 1987.

PARLEBAS, P. Los universais de los juegos desportivos. In: Revista de Praxiologia Motriz. Las Palmas de Gran Canária. n. 0, v. 1, p. 15-30, 1996.

PARLEBAS, P. Jeux, Sports et sociétés: lexique de la praxiologie motrice. Paris: Institut du sport et de l’education physique, 1999.

RAMOS, J. R. S. A semiologia e a educação física: um diálogo com Betti e Parlebas. Revista Brasileira Ciência do Esporte. Campinas v. 2, n. 21, p118-121, 2000.

RAMOS, J. R. S. O jogo como linguagem: a abordagem funcionalista da linguagem nas práticas corporais coletivas. (Doutorado em Estudos da Linguagem). Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2007. 190f.

RAMOS, J. R. S. Praxiologia Motriz e Equoterapia: uma radiografia praxiológica da lógica interna das mediações equoterápicas dentro da escola. In: RIBAS, J. F. M. Praxiologia Motriz na América Latina. Aportes para a Didática na Educação Física. Ijuí: Ed. Unijuí, 2017. p.177-197.

RIBAS, J. F. M. Praxiologia Motriz. In: Dicionário crítico da educação física. GONZÁLEZ, F. J. FENSTERSEIFER. P. E. 3. ed. ver. e ampl. Ijui: Ed. Unijuí, 2014. p. 535-538.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8659334

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.