Relação da Prevalência de Atividade Física com Variáveis Psicológicas e Componentes da Síndrome Metabólica em Agentes Penitenciários de Belo Horizonte-mg

Por: João Carlos Dias, Lígia Carlos Menezes e Ramon Emmanuel Braz Ferreira.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - RBAFS - v.17 - n.1 - 2012

Send to Kindle


.Resumo

É crescente a população carcerária no país. O agente penitenciário (ASP) é o profi ssional que prestaserviço junto ao setor de segurança, tendo como funções o acompanhamento e vigilância dos presosnas dependências das unidades prisionais e realizando também escolta de presos. Os ASP têm umavida  atribulada  e  estressante  e  não  possuem  tempo  e  nem  instalações  para  a  prática  de  exercíciosfísicos. Assim o objetivo do estudo foi relacionar a prevalência da prática regular de exercícios físicoscom a síndrome metabólica, com a ansiedade de traço e de estado, e com distúrbios psíquicos me-nores  em  ASP  de  Belo  Horizonte,  MG.  Também  foram  caracterizados  os  hábitos  de  vida,  frequênciade  exercício  físico  e  parâmetros  clínicos  dos  ASP.  Participaram  do  estudo  101  ASP  de  três  unidadesPrisionais de Belo Horizonte. A média e desvio-padrão de idade da amostra masculina (n=76) foi de33,1±5,7  anos  e  com  4,8±3,4  anos  de  trabalho.  Verifi  cou-se  que  a  maioria  da  amostra  faz  o  uso  debebidas  alcoólicas  (63%)  e  que  97,3%  consideram  seu  trabalho  muito  perigoso.  Ainda  com  relaçãoao  sexo  masculino,  onde  ocorreram  as  maiores  alterações  de  componentes  da  SM,  os  agentes  fu-mantes  representam  26,3%.  Foram  encontrados  valores  menores  (p<0,05):  na  glicemia  de  jejum  depraticantes (101,0±14,9 mg·dl-1), comparados com não praticantes (111,9±21,5 mg·dl-1) e de pressãoarterial sistólica (122,3±8,0 e 131,3±11,5 mmHg, respectivamente). O índice de massa corporal (IMC)de praticantes e não praticantes foi 26,4±3,8 e 29,6±6,1 kg·m-2e a circunferência da cintura 91,2±8,7e 100,1±13,9 cm, respectivamente, também foram menores (p<0,05). Conclui-se que houve maioresalterações  no  perfi  l  metabólico  dos  agentes  penitenciários  do  sexo  masculino  que  não  praticaramexercício  físico  nas  três  unidades  prisionais  estudadas,  pois,  encontrou-se  pressão  arterial  sistólica,índice de massa corporal, circunferência da cintura e glicemia em jejum com valores signifi  cativamen-te diferentes (para p<0,05) comparados com não praticantes de atividade física

Endereço: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/528

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.