Relação Entre a Aplicação dos Princípios do Pilates e o Nível de Prática

Por: Ana Paula Schú de Souza, Cláudia Tarragô Candotti, Emanuelle Francine Detogni Schmit, Josane Maria Rodrigues de Aquino e Suzielly Ciarlo Pereira.

Lecturas: Educación Física y Deportes - v.25 - n.267 - 2020

Send to Kindle


.Resumo

O Método Pilates consiste em um repertório de exercícios fundamentado por seis princípios: concentração, controle, centralização, fluidez, precisão e respiração. Na prática do Pilates é importante que esses princípios sejam aplicados, tanto para a aprendizagem dos exercícios quanto para a aprendizagem da filosofia do Método. O objetivo desse estudo foi determinar a relação existente entre o estágio de aprendizagem dos princípios do Pilates na execução do exercício The Hundred e o nível de prática de praticantes de Pilates. Foram avaliados 40 participantes utilizando os instrumentos/cheklists MANIPilates e MAAPPilates. Estes instrumentos permitem, a partir da observação da execução de exercícios, registrar em uma planilha de pontuação, o nível de prática e o nível (estágio) de aprendizagem dos princípios do Pilates, respectivamente. Os dados foram analisados através de estatística descritiva e inferencial, utilizando o teste de correlação Tau de Kendall (α=0,05). A maioria dos participantes apresentou nível de prática intermediário e estágio autônomo de aprendizado, com correlações variando de muito alta a moderada entre o nível de prática e cada um dos seis princípios do Método. A capacidade de aplicar os princípios do Método durante a execução do exercício The Hundred pode indicar o nível de prática do praticante, pois quanto maior a aprendizagem dos princípios, maior é o nível de prática do praticante de Pilates.

Referências

Aparício, E., & Pérez, J. (2005). O autêntico método Pilates: a arte do controle. São Paulo: Planeta Brasil.

Benedetti, G., Candotti, C.T., Gontijo, K.N., Bampi, G.M., & Loss, J.F. (2015). Desenvolvimento e validação de um método de avaliação do nível de prática no método Pilates por meio de exercícios do próprio método. Fisioterapia Brasil, 16(4), 297-304. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.33233/fb.v16i4.10

Brodt, G.A., Cantergi, D., Gertz, L.C. & Loss, J.F. (2014). An Instrumented Footbar for Evaluating External Forces in Pilates. Journal of Applied Biomechanics, 30, 483-490. Recuperado de: https://doi.org/10.1123/jab.2013-0167

Field, A. (2009). Discovering statistics using SPSS: introducing statistical method. London: Sage Publications.

Gallagher, S., & Kryzanowska, R. (2000). The Joseph H. Pilates Archive Collection. Bainbridge Books, Philadelphia.

Gaya, A. (2008). Ciências do movimento humano: introdução à metodologia da pesquisa. Porto Alegre: Artmed.

Gomes, F. R. F., de Miranda Meira Jr, C., Bassi, F. M., Hayashida Jr, C. R., & Tani, G. (2010). Golpe de judô o soto gari: validação de lista de checagem. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 17(4), 1-9. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v17i4.1032

Hopkins, W. G. (2000). Correlation coefficient: a new view of statistics. Recuperado de: https://sportsci.org/resource/stats/correl.html

Kolyniak Filho, C., & Garcia, I. E. G. (2012). O autêntico Método Pilates de condicionamento físico e mental (Contrologia): contribuições para uma fundamentação teórica. São Paulo: Stampato.

Ladewig, I. (2000). A importância da atenção na aprendizagem de habilidades motoras. Revista Paulista de Educação Física, 3, 62-71. Recuperado de: https://doi.org/10.11606/issn.2594-5904.rpef.2000.139614

Lagranha, D. M., Vieira, A., & Macedo, C.G. (2015). Modos somáticos de atenção de praticantes do Método Pilates. Fisioterapia Brasil, 16(4), 131-36. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.33233/fb.v16i4.9

Lanier, B.A., Johnson, W.E. & Thornton, B.A. (2015). The Effect of Pilates on Range of Motion in Aging Adults Living in Assisted Living Facilities. International Journal of Scientific Research, 4(10), 450-451. Recuperado de: https://www.worldwidejournals.com/international-journal-of-scientific-research-(IJSR)/fileview.php?val=October_2015_1492867748__147.pdf

Latey, P. (2001). The Pilates method: history and philosophy. Journal of Bodywork and Movement Therapies, 5(4), 275-282. Recuperado de: https://doi.org/10.1054/jbmt.2001.0237

Latey, P. (2002). Updating the principles of the Pilates method - Part 2. Journal of Bodywork and Movement Therapies, 6(2), 94-101.2):94-101. Recuperado de: https://doi.org/10.1054/jbmt.2002.0289

Luft, C., & Andrade, A. (2006). A pesquisa com EEG aplicada à área de aprendizagem motora. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 6(1), 106-115. Recuperado de: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1645-05232006000100012

Muscolino, J. E., & Cipriani, S. (2004). Pilates and the “powerhouse”- I. Journal of Bodywork and Movement Therapies, 8(1), 15-24. Recuperado de: https://doi.org/10.1016/S1360-8592(03)00057-3

Pilates, J.H., & Miller, W.J. (2010). A obra completa de Joseph Pilates: Sua saúde e O retorno à vida pela contrologia. São Paulo: Phorte Editora.

Schmidt, R. A., & Wrisberg, C. A. (2001). Aprendizagem e performance motora (2ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

Shah, S. (2013). Pilates Exercises. International Journal of Physiotherapy and Research, 1(4),196-203. Recuperado de: https://www.ijmhr.org/ijpr_articles_vol1_4/328.pdf

Shea, S., & Moriello, G. (2014). Feasibility and outcomes of a classical Pilates program on lower extremity strength, posture, balance, gait, and quality of life in someone with impairments due to a stroke. Journal of Bodywork and Movement Therapies, 18(3), 332-360. Recuperado de: https://doi.org/10.1016/j.jbmt.2013.11.017

Souza, A.P.S., Candotti, C.T., Gontijo, K.N.S., Werba, D., Flores, A.P.J. & Loss, J.F. (2018). Desenvolvimento e validação de um método para avaliação da aprendizagem dos princípios do Pilates (MAAPPilates). Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 32(4), 685-97. Recuperado de: https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v32i4p685-697

Williams, A. M., & Hodges, N. J. (Eds.). (2004). Skill acquisition in sport: Research, theory and practice. London and New York: Routledge.

Endereço: https://www.efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/2074

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.