Respostas Bioquímicas de Esforço Máximo de 4min de Canoístas de Elite

Por: H. R. Ferreira, J. P. Loures e R. M. R. Oliveira.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


.Resumo

Para canoístas os procedimentos realizados indoors tem sido uma forma de treinamento e avaliação uma vez que têm sido apontando uma serie de dificuldade no treinamento na agua sendo de extrema importância conhecer as respostas dessa forma de treinamento e as possíveis correlações com o desempenho dessa forma o objetivo do presente estudo foi determinar as respostas bioquímicas de canoístas de elite imediatamente após esforço máximo de 4min em ergômetro (KE test) e as possíveis correlações com o desempenho em caiaque individual (K1) 1000m. Participaram 38 canoístas (n= 23homens; n= 9mulheres), com mais de três anos de experiência em campeonatos internacionais. Os indivíduos realizaram aquecimento prévio de 10min, seguidos por 2min de intervalo passivo, para posteriormente iniciar o teste propriamente dito, que consistiu em realizar um esforço máximo de 4 min remando no ergômetro, foram coletados 8ml de sangue para análise bioquímica (ácido úrico [ac. úrico], creatina kinase [CK], cortisol e lactato desidrogenase [LDH]) previamente e após esforço de 4min. Após 72 horas todos os canoístas participaram de uma prova oficial, da qual foi possível verificar o desempenho na prova de K1 1000m in loco (D1000). O teste Shapiro Wilks foi utilizado para verificar a normalidade dos dados, teste T para analisar possíveis diferenças encontradas entre as variáveis de pré e pós-esforço e o teste de correlação de Pearson foi utilizado para possíveis associações com o desempenho. Foram observadas diferenças significativas entre a situação pré e pós-esforço para CK (712,35 ± 739,91; 861,83 ± 749,78 U/L) (227,89 ± 107,61; 268,56 ± 119,78 U/L) para homens e mulheres respectivamente e da mesma forma o LDH (574,39 ± 110,23; 648,87 ± 91,65 U/L) (500,89 ± 94,82; 565,56 ± 92,68 U/L). Com relação ao desempenho o ácido úrico (268,56 ± 119,78 U/L) para as mulheres apresentou correlação inversa ao desempenho (r= -0,76), enquanto que a CK apresentou correlação positiva (r= 0,46) para os homens. Com base nestes resultados foi possível verificar os danos musculares causados no treinamento indoor com ergômetros especifico para canoagem velocidade, ressaltando a importância de analisar e conhecer as respostas dessa forma de treinamento proporcionando informações aos treinadores, otimizando o desempenho esportivo.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.