Tempo Excessivo de Televisão Associado a Doenças Crônicas em Adultos e Idosos das Capitais do Brasil

Por: Anne Ribeiro Streb, Cecília Bertuol, Deborah Carvalho Malta, Giovâni Firpo Del Duca, Larissa Leonel dos Santos e Willen Remon Tozetto.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.24 - 2019

Send to Kindle


.Resumo


Atualmente, as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são consideradas um pro-
blema de saúde pública e estão atreladas a fatores de risco modificáveis, como os comportamentos
sedentários. O objetivo do estudo foi analisar a associação do tempo excessivo de televisão com a
diabetes, a hipertensão arterial e a obesidade em adultos e idosos residentes nas capitais do Brasil.
Trata-se de uma análise secundária dos dados do sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Pro-
teção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), realizado em 2017. O tempo
excessivo de TV (autorrelato de assistí-la por ≥ 4 horas/dia) e as DCNT (autorrelato das presenças
de diabetes, de hipertensão arterial e de obesidade, definida por valores de peso e altura referidos pelo
entrevistado) foram investigados por meio de questionário. Empregou-se regressão logística binária,
com resultados expressos em Razão de Odds (RO) e intervalos de confiança de 95% (IC95%), em
análises brutas e ajustadas para variáveis sociodemográficas e de estilo de vida

Endereço: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14171/10989

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.