Treinamento Esportivo Voltado à Iniciação

Por: Bárbara Raquel Agostini.

Ginástica Rítmica: do Contexto Educacional à Iniciação Ao Alto Rendimento.

Send to Kindle


Resumo

A GR, como já foi dito anteriormente, apresenta uma ampla série de movimentos. Estes movimentos necessitam de habilidades motoras específicas. No caso da GR, isso se torna ainda mais evidente, ao pensarmos essa modalidade como competitiva. Neste capítulo, iremos direcionar o trabalho para o desenvolvimento de alto rendimento e, mais especificamente, para a iniciação a este desenvolvimento. Compreendemos que para atingir um alto rendimento e chegar às categorias profissionais não existe nada mais importante que um trabalho de iniciação que contemple e visualize este caminho.
 Conforme Karpenko (2003), a ginástica rítmica moderna é caracterizada pela alta precisão do desempenho de ações motoras, o que requer movimentos que organizem parâmetros de energia, espaço e tempo.
A análise de literaturas científicas e metodológicas (BELAKOPITOVA; LABRENTIEVA; KOGEVNIKOVA, 2010) nos mostram que, no processo de treinamento competitivo das ginastas, exige-se do corpo o máximo de carga, ocorrendo a mobilização da funcionalidade das demandas do corpo e da coordenação dos movimentos (em cada elemento de forma individual) em uma única ação significativa. Neste sentido, uma tarefa importante do processo de treinamento é aumentar a capacidade de coordenação.  No momento atual, a questão de dar complexidade maior aos elementos de todos os grupos estruturais dentro do conteúdo dos programas individuais na ginástica rítmica recebe o maior destaque. Isso porque, na expectativa de atender este objetivo, as ginastas se deparam com a necessidade de assimilar uma grande quantidade de movimentos relativamente independentes uns dos outros fatos que representa maiores exigências quanto a sua memória motora, que é o processo de memorização e armazenamento de movimentos complexos de alta diversidade, bem como sua reprodução com alto grau de precisão quando for necessário (ILIYN, 1985; SOBOLEVA, 2006).
 A criança, conforme Róbeva e Rankelóva (1991), pode iniciar a prática das atividades de GR por volta dos seis anos de idade. Porém, na atualidade, o que vemos é a iniciação a partir dos 4 anos de idade. Segundo Alonso (2004), a GR é um dos esportes privilegiados por possuir habilidades motoras bem próximas da cultura corporal encontrada nas brincadeiras e nos jogos infantis, o que permite desde os cinco anos de idade possibilitar vivências motoras na GR sem que estejamos iniciando precocemente na habilidade. Existe entre os autores, então, uma média mínima de idade para início da prática, que vai dos 4 aos 6 anos de idade.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.