Treze Sessões de Treinamento Aeróbio de Alta Intensidade Foram Suficientes Para Melhorar a Vvo2max, Velocidade Crítica e o Desempenho no Teste de Cooper, Independente do Nível de Treinamento Aeróbio na Corrida

Por: C. W. L. Almeida, E. H. Ozaki, F. A. D. Campos e R. A. C. Caritá.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O treinamento aeróbio de alta intensidade (TAAI) é um importante componente de um programa de atividade física, entretanto, os métodos que servem para elaborar e controlar esse treinamento dependem de equipamentos caros e invasivos, contudo, meios alternativos determinados indiretamente, são uma opção para sua elaboração e controle. Todavia, ainda são escassos os exemplos da aplicação do TAAI por meios indiretos em indivíduos com diferentes níveis de treinamento aeróbio. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar o efeito de 13 sessões de TAAI na velocidade correspondente ao VO2max (vVO2max), velocidade crítica (VC) e no teste de Cooper (T12) por métodos indiretos. Participaram do estudo 110 indivíduos do sexo masculino, Cadetes do Curso de Formação de Oficiais da Academia da Força Aérea. Os sujeitos foram divididos em 4 grupos de acordo com o VO2max) [G1 (N=19 - idade: 18,9 ± 0,7anos, altura: 174 ± 0,7cm e VO2max: 54,2 ± 2,3ml.kg.min-1); G2 (N=43 - idade: 18,6 ± 1,8anos, altura: 174,9 ± 6,4cm, e VO2max: 48,5 ± 1,4ml.kg.min-1), G3 (N=39 - idade: 19,1 ± 1,2anos; altura: 174,4 ± 6,4cm; e VO2max: 44,5 ± 1,6ml.kg.min-1) e G4 (N=9 - 18,9 ± 0,9anos, idade: 175,7 ± 6,5cm, e VO2max: 39,5 ± 1,7ml.kg.min-1)]. O treinamento foi precedido (pré) e procedido (pós) por um T12 e de um esforço máximo de 800 metros (T800) para que as intensidades pudessem ser calculadas e distribuídas, a VC foi determinada pelo modelo linear (tempo vs. distância), a vVO2max foi calculada por meio das equações sugeridas pelo ACSM. Os indivíduos treinaram durante 4 semanas (SEM), de acordo com a velocidade média obtida no T12 (VMT12) da seguinte forma: SEM1: 3 sessões de corrida contínua (87% da VMT12, 26min) e 1 sessão de corrida intervalada (400m, 105% da VMT12, pausa 90s, 28min); SEM2: 3 sessões de corrida contínua (81% da VMT12, 30min) e 1 sessão de corrida intervalada (800m, 100% da VMT12, pausa 105s, 30min); SEM3: 1 sessão de corrida contínua (92% da VMT12, 24min) e 2 sessões de corrida intervalada (a: 200m, 114% da VMT12, pausa 60s, 34min; b: 100m, 118% da VMT12, pausa 45s, 26min); SEM4: 1 sessão de corrida intervalada (400m, 115% da VMT12, pausa 90s, 24min) e 1 sessão de corrida no ritmo de prova (2 x 60% da duração do T12, 110 a 116% da VMT12, pausa 45s). Após as 4 semanas de TAAI foram encontradas melhoras percentuais significantes para ambos os grupos nos índices de T12 (G1: 9,6%; G2: 12,2%; G3: 15,7% e G4: 17,3%; p<0,05), T800 (G1: 7,6%; G2: 9,1%; G3: 13,2% e G4: 14,5%; p<0,05), VC (G1: 10,7%; G2: 14,0%; G3: 17,5% e G4: 19,6%; p<0,05) e na vVO2max (G1: 11,6%; G2: 15,0%; G3: 19,7% e G4: 22,3%; p<0,05). Com base nos resultados deste estudo, pode-se concluir que o TAAI durante períodos relativamente curtos de tempo (4 semanas), usando métodos indiretos para elaboração das cargas de treino, pode melhorar índices usados no controle do treinamento, contudo, essa melhora parece ocorrer independente do nível de treinamento aeróbio na corrida.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.