Pensar a Prática 2017 n.4 v.20. Brasil, Goiania-GO.

Por e

Resumo

Este trabalho pretende apresentar uma cartografia da prática do mergulho livre e, com base na concepção de corpo sem ógãos das obras de Deleuze e Guattari, extrair elementos que possibilitem refletir sobre a produção de um corpo intensivo, distinto do corpo orgânico. Partimos da noção de que o corpo sem órgãos seja o corpo dos afectos circulantes em um encontro entre corpos. Pretendemos contribuir para as reflexões acerca do corpo, realizando uma listagem de afectos da prática do mergulho livre no mar, elaborando a noção de que um corpo intensivo é construído a partir de experimentações capazes de constituir novos campos de sensibilidade.

Comentários

Você precisa criar um usuário no CEV para fazer um comentário.