A Dança Como Prática Corporal no Contexto das Academias de Ginástica: Motivos de Inserção e Permanência

Por: Adriana de Faria Gehres, Ana Carolina Marques da Silva e Clara Maria Silvestre Monteiro de Freitas.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

A presente pesquisa é recorte de uma dissertação de mestrado que se encontra em fase final de análise e buscou compreender como a dança vem sendo materializada nas academias de ginástica situadas em Recife-PE. Isto, pois consideramos a expansão no mercado de espaços para práticas de exercícios físicos e o consequente aumento da indústria de academias, onde o Brasil torna-se o segundo local com maior número e perde apenas para os Estados Unidos (ACAD, 2014). Neste sentido, diversas práticas corporais se inserem nas academias, dentre elas algumas modalidades de dança (dança do ventre, dança de salão, ballet, jazz, etc.). Reconhecendo-a como um fenômeno cultural advindo de várias transformações sociais e históricas do ser humano (BOURCIER, 2001), salienta-se a necessidade de estarmos atentos à dança como manifestação da cultura e conhecimento que deve ser aprendido e comunicado considerando as diferentes linguagens corporais manifestadas, criadas e vividas pela humanidade, portanto, inquietamo-nos sobre o que é este fenômeno decorrente do encontro entre a dança e o contexto das academias de ginástica. Diante disto, apresentamos aqui os motivos de inserção e permanência da dança nos espaços das academias.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.