Narrativas (auto)biográficas e Processos Colaborativos na Formação Permanente de Professores(as)-pesquisadores(as) de Educação Física Escolar

Por: .

Revista de Educação Física, Saúde e Esporte - REFISE - v.3 - n.1 - 2020

Send to Kindle


.Resumo

Neste artigo, baseado na minha participação, como palestrante, mediador ou tradutor, em três mesas temáticas do I CIPPEFE, revisito a noção de complexidade nas proposições teóricas e metodológicas da educação física escolar brasileira, associando-as a algumas perspectivas internacionais. O objetivo é situar a fundamentação epistemológica da proposta de sistematização que, desde 2005, tem sido reelaborada constantemente por uma comunidade autônoma de professores(as)-pesquisadores(as), da qual faço parte, a partir da convergência entre as dinâmicas da cultura, do corpo, do movimento e do ambiente. Metodologicamente, reanaliso aspectos que pesquisei durante o mestrado e indícios de narrativas (auto)biográficas elaboradas por doze colegas, com quem compartilhei minhas pesquisas de doutorado e de pós-doutorado. Para situar a problemática, enfatizo uma aproximação entre princípios curriculares e, posteriormente, discuto as relações de convergência entre as áreas de estudos científicos e como os discursos acadêmicos influenciam as concepções para o currículo escolar. Há meandros entre as práticas científicas e as práticas pedagógicas que trazem desafios epistemológicos, teóricos e metodológicos. Há também desafios de relações de poder no âmbito das proposições e das concepções da educação física que fundamentam a proposta de sistematização temática. Considero que há um ponto de vista avançado sobre as perspectivas de convergência entre essas proposições; porém, para avançar, é necessário recuar epistemologicamente. Assim, concluo que existe um recuo epistemológico, baseado em uma lógica complexa que implica nos processos formativos colaborativos entre professores(as)-pesquisadores(as).

Referências

BEN-HUR, M.Ensinando para a inteligência. São Paulo: Senac, 2000.

BERGER, P. L.; HUNTINGTON, S. P. (Orgs.). Muitas globalizações: diversidade cultural no mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Record, 2004.

BETTI, M. Educação física como prática científica e prática pedagógica: reflexões à luz da filosofia da ciência. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v.19, n.3, p.183-197, jul./set. 2005.

BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

BETTI, M. Educação física, esporte e cidadania. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.20, p.84-92, 1999.

BETTI, M. O que a semiótica inspira ao ensino da educação física. Discorpo, n.3, p.25-45, 1994.

BETTI, M. Um saber com sabor: “da cultura do corpo” de Jocimar Daolio. Motriz, n.1, p.140-141, 1995.

BÖHME, M. T. S. Aptidão física: aspectos teóricos. Revista Paulista de Educação Física, v.7, p.52-65, 1993.

BORGES, C. M. F.; SANCHES NETO, L. Compartilhando a análise de práticas pedagógicas na educação física: perspectivas colaborativas. Instrumento, v.16, n.2, p.231-248, jul. 2014.

BRASIL, Ministério da Educação e Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos. Educação Física/Secretaria de Ensino Fundamental. Brasília: MEC/ SEF, 1997.

BRASIL, Ministério da Educação e Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos. Educação Física/Secretaria de Ensino Fundamental. Brasília: MEC/ SEF, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação e Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: linguagens, códigos e suas tecnologias. Educação Física/Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico. Brasília: MEC/SEF, 1999.

BROTTO, F. O. Jogos cooperativos: se o importante é competir, o fundamental é cooperar. Santos-SP: Projeto Cooperação, 1997.

CARVALHO, J. S. F. Construtivismo: Uma pedagogia esquecida da escola. 2000. Tese (Doutorado em Educação), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000

CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e educação física. Campinas, SP: Autores Associados, 1988.

CAVALCANTI, K. B. Para unificação em ciência da motricidade humana. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.7, p.176-185, 1996.

CAVALCANTI, K. B. Tendência crítica e revolucionária da educação física brasileira. Sprint Especial, n.3, p.25-31, 1985.

CBCE, Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte. Educação física escolar frente à LDB e aos PCNs: profissionais analisam renovações, modismos e interesses. Ijuí-RS: Sedigraf, 1997.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of research in education, n.24, p.249-305, 1999.

COLL, C.; MARTÍN, E.; MAURI, T.; MIRAS, H.; ONRUBIA, J.; SOLÉ, Y.; ZABALA, A. El constructivismo en el aula. Barcelona: Graó, 1993.

COLL, C.; POZO, J. I.; SARABIA, B.; VALLS, E. Los contenidos en la reforma: enseñanza y aprendizaje de conceptos, procedimientos y actitudes. Madrid: Santillana, 1992.

CORBIN, C. B. First things first, but don’t stop there. Journal of Physical education, Recreation and Dance, v.52, p.36-38, 1981.

COSTE, J. C. La psicomotricidad. Buenos Aires: Huemul, 1978.

CUNHA, M. I. O bom professor e sua prática. Campinas-SP: Papirus, 1989.

CUNHA, M. S. V. Para uma epistemologia da motricidade humana. Lisboa: Compendium, 1986.

DANIEL, M. F.; BERGMAN-DREWE, S. Higher-order thinking, philosophy, and teacher education in physical education. Quest, v.50, p.33-58, 1998.

DAOLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas-SP: Papirus, 1995.

DAOLIO, J. Educação física e o conceito de cultura. Campinas-SP: Autores Associados, 2004.

DAOLIO, J. Educação física escolar: em busca da pluralidade. Revista Paulista de Educação Física, n.2, p.40-42, 1996.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A.; RAMOS, G. N. S.; GALVÃO, Z.; FERREIRA, L. A.; SILVA, E. V. M.; RODRIGUES, L. H.; SANCHES NETO, L.; PONTES, G. H.; CUNHA, F. A educação física, a formação do cidadão e os parâmetros curriculares nacionais. Revista Paulista de Educação Física, v.15, p.17-32, 2001.

DELIGNIÈRES, D. Intentions éducatives et apprentissages effectifs en éducation physique et sport. In: GRÉHAIGNE, J. F.; MAHUT, N.; MARCHAL, D. (Orgs.). Qu’apprennnent les élèves en faisant des activités physiques et sportives? Actes du Colloque International de l’AIESEP. Besançon: IUFM de Franche-Comté, 2000.

DUSSEL, E. Ethics of liberation in the age of globalization and exclusion. Durham-NC: Duke University Press, 2013.

FAIRCLOUGH, S. J.; STRATTON, G. ‘Physical education makes you fit and healthy’. Physical education’s contribution to young people’s physical activity levels. Health Education Research, v.20, p.14-23, 2005.

FERREIRA NETO, A.; GOELLNER, S. V.; BRACHT, V. (Orgs.). As ciências do esporte no Brasil. Campinas-SP: Autores Associados, 1995.

FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. Campinas-SP: Scipione, 1989.

FREIRE, J. B.; SCAGLIA, A. J. Educação como prática corporal. Campinas-SP: Scipione, 2003.

FREIRE, P. R. N. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, L. C. Os empresários e a política educacional: como o proclamado direito à educação de qualidade é negado na prática pelos reformadores empresariais. Germinal: marxismo e educação em debate, v.6, n.1, p.48-59, 2014.

GABELNICK, F. Educating a committed citizenry. Quest, v.50, p.9-18, 1998.

GALLAHUE, D. L. Developmental physical education for today’s elementary school children. New York: MacMillan, 1987.

GHIRALDELLI JÚNIOR, P. Educação física progressista: a pedagogia crítico-social dos conteúdos e a educação física brasileira. São Paulo: Loyola, 2001.

GUEDES, J. E. R. P.; GUEDES, D. P. Características dos programas de educação física escolar. Revista Paulista de Educação Física, v.11, p.49-62, 1997.

JEWETT, A. E.; BAIN, L. L. The curriculum process in physical education. Dubuque, Iowa: Wm. C. Brown, 1985.

KUNZ, E. (Org.). Didática da educação física I. Ijuí-RS: Unijuí, 1998.

KUNZ, E. (Org.). Didática da educação física II. Ijuí-RS: Unijuí, 2004.

LABARRIÈRE, G. Éducation à la citoyenneté par l’EPS. Revue Éducation Physique et Sport, n.280, p.25, 1999.

LE BOULCH, J. Psicocinética. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

MANOEL, E. J. Considerações sobre a avaliação em educação física escolar: uma visão da abordagem desenvolvimentista. Anais... V Seminário de Educação Física Escolar, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

MANOEL, E. J. Desenvolvimento do comportamento motor humano: uma abordagem sistêmica. São Paulo. Dissertação (Mestrado em Educação Física), Universidade de São Paulo, 1989.

MARCHIORETO, F. A importância do movimentar-se para a vida humana: aspectos históricos, educacionais e do cotidiano. São Paulo. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura), Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2014.

MARIZ DE OLIVEIRA, J. G. Educação física na educação básica: significado, objetivo e conteúdo. São Paulo: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, 2001.

MARIZ DE OLIVEIRA, J. G.; BETTI, M.; MARIZ DE OLIVEIRA, W. Educação física e o ensino de 1º grau: uma abordagem crítica. São Paulo: EPU, 1998.

MARIZ DE OLIVEIRA, J. G. Da educação física à cinesiologia humana. São Paulo: Instituto de Cinesiologia Humana de São Paulo, 2009. Disponível em: http://www.hani.com.br/img/uploads/artigos/06092011_00560218.pdf. Acesso em: 6 mar. 2017.

MARQUES, A. T.; GAYA, A. Atividade física, aptidão física e educação para a saúde: estudos na área pedagógica em Portugal e no Brasil. Revista Paulista de Educação Física, v.13, p.83-102, 1999.

MATTOS, M. G.; NEIRA, M. G. Educação física infantil: construindo o movimento na escola. São Paulo: Plêiade, 1998.

MATTOS, M. G.; NEIRA, M. G. Educação física na adolescência: construindo o conhecimento na escola. São Paulo: Phorte, 2000.

MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

MEDINA, J. P. S. A educação física cuida do corpo e... “mente”: bases para a renovação e transformação da educação física. Campinas, SP: Papirus, 1996.

MEDINA, J. P. S. O brasileiro e seu corpo: educação e política do corpo. Campinas-SP: Papirus, 1987.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MOREIRA, W. W. Educação física escolar: uma abordagem fenomenológica. Campinas-SP: Unicamp, 1992.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.

NAHAS, M. V. Educação física no ensino médio: educação para um estilo de vida ativo no terceiro milênio. Anais... IV Seminário de Educação Física Escolar, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina-PR: Midiograf, 2001.

NEGRINE, A. A coordenação psicomotora e suas aplicações. Porto Alegre: Pallotti, 1987.

NEVES, L. F. B. As máscaras da totalidade totalitária: memória e produção sociais. Rio de Janeiro. Forense Universitária, 1988.

OLIVEIRA, V. M. O que é educação física. São Paulo: Brasiliense, 1983.

OLIVEIRA, V. M. Educação física humanista. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1985.

PALMA FILHO, J. C. Cidadania e educação. Cadernos de Pesquisa, v.104, p.101-121, 1998.

PEDRAZ, M. V. Teoría pedagógica de la actividad física. Madrid: Gymnos, 1987.

PEIRCE, S. C. Semiótica e filosofia. São Paulo: Cultrix, 1972.

REGO, T. C. Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995.

RICŒUR, P. O conflito das interpretações: ensaios de hermenêutica. Rio de Janeiro: Imago, 1988.

RODRÍGUEZ, M. C. Conteúdos básicos comuns de educação física. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Orgs.). Educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas-SP: Autores Associados, 2003, p.335-347.

ROGERS, C. R. Liberdade para aprender. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

SANCHES NETO, L. Educação física escolar: uma proposta para o componente curricular da 5ª à 8ª série do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Educação Física Escolar) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro-SP, 2003.

SANCHES NETO, L. O processo de elaboração de saberes por professores-pesquisadores de educação física em uma comunidade colaborativa. Tese (Doutorado em Formação Profissional, Campo de Trabalho e Ensino da Educação Física) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro-SP, 2014.

SANCHES NETO, L.; BETTI, M. Convergência e integração: uma proposta para a educação física de 5ª à 8ª série do ensino fundamental. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v.22, n.1, p.5-23, 2008.

SANCHES-NETO, L.; CONCEIÇÃO, W. L.; OKIMURA-KERR, T.; VENÂNCIO, L.; VOGEL, A. J. Z.; FRANÇA, A. L.; CORSINO, L. N.; RODRIGUES, J. C. R.; FREITAS, T. P. Demandas ambientais na educação física escolar: perspectivas de adaptação e de transformação. Movimento, Porto Alegre, v.19, n.4, p.309-330, 2013.

SILVA, N. M.; CAMPOS, T. B.; PINTO, C. A. S. A iniciação à pesquisa na formação de professores de educação física. Revista de Educação Física, Saúde e Esporte, Limoeiro do Norte-CE, v.2, n.1, p.92-101, dez. 2019.

SINGER, R. N.; DICK, W. Ensinando educação física: uma abordagem sistêmica. Porto Alegre: Globo, 1980.

SNYDERS, G. Escola, classe e luta de classes. Lisboa: Moraes, 1981.

SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M. O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

SOUZA, A. S. (Org.). Desafios para uma educação física crítica. São Paulo: Cult, 2005.

TAFFAREL, C. N. Z. Educação física como área de conhecimento, campo de formação inicial e continuada e de atuação profissional: o que fazer em um período de destruição de forças produtivas? Revista de Educação Física, Saúde e Esporte, Limoeiro do Norte-CE, v.1, n.1, p.8-30, nov. 2018.

TANI, G. Cinesiologia, educação física e esporte: ordem emanente do caos na estrutura acadêmica. Motus Corporis, v.3, n.2, p.9-49, dez. 1996.

TANI, G. (Org.). Comportamento motor: aprendizagem e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

TANI, G.; MANOEL, E. J.; KOKUBUN, E.; PROENÇA, J. E. Educação física escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU, 1988.

TANI, G.; CONNOLLY, K. J.; MANOEL, E. J. Pattern formation and hierarchical organization of motor skills. Anais... III Encontro Brasileiro Internacional de Inteligência Cognitiva, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 1998.

TISHMAN, S.; PERKINS, D. N. Critical thinking and physical education. Journal of Physical education, Recreation and Dance, v.66, p.24-30, 1995.

VALERY, V. Éducation physique et sportive: du savoir a la citoyenetté. Marseille: Académie d’Aix, 2001.

VILLA, M. E. O corpo na educação física escolar. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Orgs.). Educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas-SP: Autores Associados, 2003, p.179-188.

VON BERTALANFFY, L. General system theory: foundations, developments, applications. New York: Braziller, 1968

Endereço: https://intranet.limoeiro.ifce.edu.br/revistas/refise/article/view/116

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.