Pensar a Prática 2017 n.4 v.20. Brasil, Goiania-GO.

Por , e

Resumo

O presente artigo aborda as interfaces entre a implementação do Ensino Médio Politécnico, o trabalho docente dos professores de Educação Física e a micropolítica escolar. A articulação destes fenômenos foi compreendida a partir de uma etnografia realizada de junho de 2014 a março de 2015 em uma escola estadual na cidade de Camaquã/RS que se valeu de um diário de campo, entrevistas semiestruturadas e análise de documentos como fonte de informações. Os objetivos estabelecidos para este estudo foram: analisar o processo de implementação do Ensino Médio Politécnico, no contexto da escola pública estadual no Rio Grande do Sul, identificar que transformações a implementação do Ensino Médio Politécnico promove no trabalho docente e compreender como implementação de uma reestruturação curricular e o contexto micropolítico se inter-relacionam. Gestada em uma esfera macropolítica a implementação do Ensino Médio Politécnico tem sido tema de análise e discussões, o que nos leva a questionar a influência da macropolítica sobre a micropolítica e consequentemente ao trabalho docente. Compreendemos com este estudo que os princípios que orientaram a proposta de implementação do Ensino Médio Politécnico foram adaptados pelo professorado. Especificamente os professores de Educação Física, que trabalham no contexto estudado, mostraram resistência à proposta de construir um trabalho interdisciplinar, a partir desta reestruturação proposta pela Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul.

Comentários

Você precisa criar um usuário no CEV para fazer um comentário.